Blog do Paraíso: Janeiro 2008

quinta-feira, 31 de janeiro de 2008

Coisa que só acontece no País da Sacanagem


Se Fernandinho Beira Mar, Marcos Willians Herbas Camacho, o “Marcola”, ou até mesmo os assassinos do menino João Hélio, Diego Nascimento da Silva, Carlos Eduardo Toledo Lima, Carlos Roberto da Silva e Tiago Abreu Matos, não tivessem sido condenados, eles poderiam muito bem ser senadores sem receber nenhum voto – veja o caso dos suplentes – e, de quebra, ficar impunes, afinal, o Senado Federal não cassa senadores que cometeram crimes antes de tomarem posse. Mas as benesses não param por aí, as figuras mencionadas acima, se senadores, teriam seus processos julgados no Supremo Tribunal Federal (STF) – foro privilegiado, ou seja, nunca seriam condenados, pois até hoje o STF nunca condenou ninguém. Estimado leitor, seja bem-vindo ao País da Sacanagem.

terça-feira, 29 de janeiro de 2008

Quintal dos Estados Unidos


O Brasil é, sim, o quintal dos Estados Unidos. Por que? Francamente, nunca vi tanto interresse pelas eleições primárias de lá. O leitor deve se questionar ainda: o que tem a ver uma coisa com outra? Na minha opinião, o destaque que a imprensa brasileira dá às eleições primárias americanas passa a idéia de que nós, brasileiros, vamos escolher também o presidente de lá. É isso mesmo. Também vamos votar. Parece que nosso presidente não é o Lula. E, sim, o candidato que vencer as eleições nos Estados Unidos. Estou errado? Então, por que tanto destaque numa eleição primária? Nem é a eleição definitiva. É apenas primária. Portanto, insisto na pergunta, por que tanto destaque numa eleição primária? Só porque o candidato do partido Democratas pode ser um negro ou uma mulher? Pelo amor de Deus. Eu só quero saber o resultado. Não me interessa se Hillary Clinton chora para vencer Barack Obama, que acusa a adversária de ser pau-mandado do marido Bill Clinton, que comeu uma estagiária quando era presidente. O que eu quero saber só vai acontecer em novembro. Mas, como o Brasil é o quintal dos Estados Unidos, teremos que agüentar essa novela até o fim.

O que João Goulart, Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek têm em comum?


Um bom jornalista deve, entre outras qualidades, desconfiar de tudo e todos. Desconfiar do que ver, do que ouve, do que toca. Desconfiar de que o homem foi à lua. De que a Terra gira em torno do Sol (você por acaso viu com seus próprios olhos a Terra girando em torno do Sol?) Desconfiar que dois mais dois são quatro; que a composição química da água são dois hidrogênio e um oxigênio. Exagero? É. Realmente pode existir um pouco de exagero. Mas é preciso para enfatizar o quanto um jornalista deve ser desconfiado. Agora, vamos até onde eu quero chegar com todo esse discurso (absurdo para alguns). Ontem assisti a uma reportagem do Jornal Nacional, onde o uruguaio Mário Barreiro afirmou ter participado de uma operação que assassinou o ex-presidente João Goulart. A afirmação só aumentou minha desconfiança sobre a morte de outros dois ex-presidentes, coincidentemente, com idéias parecidas: Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek. De acordo com o cânone, Vargas se suicidou na madrugada de 23 para 24 de agosto de 1954. Já Kubitschek sofreu um acidente automobilístico no dia 22 de agosto de 1976. Não tenho nenhuma prova, mas desconfio que a história não foi bem assim. Desconfio que, assim como João Goulart, Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek foram assassinados! “Deixo a vida para entrar na história”, escreveu Getúlio na carta que deixou antes de se matar. Tá. A-cre-di-to.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008

Por que não levar a questão dos ufólogos a sério?


Por que não levar a questão dos ufólogos a sério? Eu acho que os governos deveriam liberar os documentos oficiais sobre os ovnis e tudo referente à Extra Terrestre (ET). Os cientistas, por sua vez, deveriam analisar, com seriedade, os papais. Talvez, assim, acabariam as brigas e as questões sobre o assunto, pois, das duas uma: passaríamos a não acreditar em Ets e, conseqüentemente, os oportunistas de plantão parariam de falsificar informações sobre os alienígenas; ou acreditaríamos de uma vez por todas nos seres de outros planetas. Pode não ser tão simples assim, mas, eu insisto na questão, por que não levar a sério as suspeitas, os estudos, enfim, o que dizem os ufólogos? Eu não descarto a possibilidade da existência de seres de outros planetas. Também não descarto a possibilidade deles não existirem. Enfim, apenas duvido.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008

A vida é como um jogo de dominó


Às vezes, para distrair, sento na calçada e fico esperando o tempo passar. Geralmente, sempre aparece um vizinho, ou vários. Conheço bastante, afinal, moro no bairro há 16 anos. Logo, os vizinhos são também amigos de muito tempo, irmãos por consideração. Talvez eles não me vejam com esse olhar. Não importa, pois, talvez, quando eu me mudar, os esquecerei... Quero compartilhar com você, amigo leitor, uma filosofia que surgiu durante uma conversa que tive com meus vizinhos, certa vez quando resolvi esperar o tempo passar sentado na calçada. A vida é como um jogo de dominó. Se não houver trapaça, 50% da vitória é pura sorte e os outros 50%, depende da habilidade do jogador. O jogador de sorte que retira pedras boas da mesa só terá 100% de chances de ganhar o jogo se for hábil. Caso contrário, tem 50% a menos. Já o jogador azarado que retira pedras ruins da mesa terá que fazer muito esforço para ganhar, pois começa o jogo com muita desvantagem. O que não quer dizer que não tenha chances de ganhar. Não se esqueça que a habilidade vale 50%. Assim também é a vida. Tem gente que nasce num berço de outro, tem muita sorte, mas não se esforça, não se interessa por nada, é indiferente, não tem habilidade. Acabada se dando mal. Mas se a sorte for muito grande, o sujeito pode não se dar tão mal assim (ou seja, pode ainda ganhar o jogo). Há também o caso de pessoas que nascem pobres (pegam pedras ruins), no entanto, são esforçadas, correm atrás, são habilidosas e, portanto, acabam ganhando o jogo, se dando bem na vida. Mas muitos, infelizmente, por terem pegados pedras ruins no começo, acabam tremendo nas bases, desistem sem correr atrás e, por conseqüência, perdem o jogo. Enfim, amigo leitor, a filosofia que parimos na calçada, eu e meus vizinhos, é essa.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

A última ceia


O clima era de total formalidade durante a coletiva que o ministro das Relações Institucionais, José Múcio, deu sobre o resultado da primeira reunião ministerial de 2008. Como escrevi acima, o clima era! Só que deixou de ser de total formalidade quando uma jornalista fazer a seguinte pergunta: “Ministro, o presidente Lula disse que a reunião ministerial seria como a última ceia de Jesus Cristo. O que ele quis dizer com isso? Existe algum Judas ou Maria Madalena nos ministérios?”. A pergunta arrancou risos e reclamações dos demais jornalistas. O ministro José Múcio aproveitou o clima de descontração para responder de maneira também descontraída. “Quando o presidente Lula disse que a reunião ministerial seria como a última ceia de Jesus, ele queria dar um tom cômico à reunião, assim como a sua pergunta deu um tom cômico a esta entrevista”, respondeu. É. José Múcio conseguiu se sair bem, mas a questão ainda está no ar. Quem seria o Judas dos ministérios? Talvez o calouro Lobão. Afinal, acabou de entrar. Mas quem seria a Maria Madalena? Pela perversão demonstrada durante a crise aérea (você se lembra do relaxa e goza?), acredito que a ministra do Furismo...quero dizer, do Turismo, Marta Suplicy, seja a Maria Madalena da Esplanada.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008

Sem querer comentar, já comentando...


Eu me recuso a comentar a posse do novo ministro de Minas e Energia, Edison Lobão (PMDB-MA), e as denúncias contra seu suplente e filho Edison Lobão Filho (DEM-MA) – suspeito de ser sócio oculto de uma distribuidora de bebidas no Maranhão que teria sonegado R$ 42 milhões nos últimos oito anos, além de responder a um processo criminal sobre o funcionamento de uma emissora clandestina de televisão no interior do estado, em 1999. Por que me recuso a comentar esse acontecimento? Se bem que eu já estou comentando, ao responder essa pergunta. Droga! Agora já era. Já estou comentando. Mas prometo que não vou escrever muito. Recuso-me a comentar a farra dos lobos porque não é um fato inédito na política brasileira. Quantos suplentes corruptos assumiram cargo de deputado, ou de senador? E quantos ministros que não entendem nada da pasta que assumiu foram empossados? Vários. Perdi até a conta. Portanto, me recuso a comentar, já comentando, essa deficiência da política brasileira.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Se você não mora no DF, pague o IPTU depois de 5 de outubro


O Distrito Federal (DF) não tem prefeito nem vereador, portanto, não haverá aqui eleições em outubro. Afirmação óbvia. Mas o que eu quero dizer é que, mesmo assim, o Blog do Paraíso fará campanha. Isso mesmo. Campanha para apoiar a iniciativa de algumas associações de moradores do Rio de Janeiro. Cansados de presenciar a malandragem de prefeitos, que passam três anos sem fazer nada e só no último resolvem tomar medidas paliativas para se reelegerem ou elegerem um aliado, algumas associações de moradores da Zona Norte e Sul do Rio de Janeiro resolveram fazer uma campanha para que o Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) não seja pago antes das eleições. Está certo que com isso o morador pagará multa e ajudará o candidato que for eleito, mas mostrará também que o contribuinte ainda tem poder sobre os impostos que paga e evitará que, pelo menos o dinheiro do IPTU, não vá para ações que beneficiam prefeitos caras-de-pau, como pintar meio fio, reinaugurar obras, reformar praças e etc.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008

O mais novo candidato à presidência da República


Marta Suplicy (PT)? Ciro Gomes (PSB)? José Serra (PSDB)? Aécio Neves (PSDB)? Que nada! O nome do mais novo candidato à presidência da república é Arthur Virgílio (PSDB). Sim. Ele mesmo. O protagonista dos senadores que impediram a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). O senador Arthur Virgílio lançou a candidatura na entrevista que deu às páginas amarelas da revista Veja de 16 de janeiro. Questionado qual seria o melhor candidato do PSDB à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Virgílio respondeu que Serra sai na frente, seguido por Aécio, mas o partido deveria testar mais nomes, como o dele. O senador disse também que o candidato do partido será definido como nos Estados Unidos, em eleições primárias. “Meu nome estará nas primárias do PSDB para definir o candidato à presidência da República”, afirmou. Achei até uma boa idéia a candidatura do senador, depois que li a resposta do tucano à pergunta sobre a tese de que houve um erro político ao não pedir o impeachment de Lula, após o escândalo do mensalão. “A abertura de um processo de impeachment traria um desgaste enorme ao país”, explicou. “Não faria bem para a econômica brasileira, passaríamos ao mundo a imagem de um país instável, que derruba um presidente a cada treze anos”. Mas lembrei de outra pergunta que li antes dessa e conclui que Virgílio não seria um bom presidente, pois ele revelou, na resposta anterior, que é fã do ex-presidente Fernando Henrique. O que não é nada bom.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Palmas para Celso Amorim


Apesar dos caras-de-pau e do nosso presidente pinóquio, tenho que reconhecer que há autoridades nesse país que merecem elogio. O ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, por exemplo. Mesmo depois do presidente da Bolívia, Evo Morales, nacionalizar as reservas de gás, Amorim manteve relações com o país. Em vez de declarar guerra aos bolivianos e tomar medidas duras, assim como faz os Estados Unidos, o ministro optou pela negociação e reconheceu a importância estratégica da Bolívia. Dessa forma, a imagem do Brasil de país cordial se fortaleceu. Imagem importante para uma nação que deseja ser líder de um continente. E se depender de Amorim, acredito que a cordialidade brasileira continuará, conforme podemos observar na notícia publicada hoje na Agência Estado. De acordo com a matéria, o ministro das Relações Exteriores “rejeitou o pedido do presidente venezuelano Hugo Chávez de classificar as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) como força insurgente, em vez de grupo terrorista, como define o governo colombiano. Amorim disse que o Brasil não faz classificação de quais organizações são terroristas e, por isso, não iria discutir se as Farc entram ou não nesta categoria”. Palmas para Celso. Não tomar partido é uma ótima estratégia de dominação, assim como fazer amigos.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008

Diferença Lula e Pinóquio: o nariz do presidente não cresce


Antes de ser eleito presidente da república, o petista Luiz Inácio Lula da Silva disse que não adoraria a política econômica da era Fernando Henrique Cardoso. O que aconteceu depois que Lula se elegeu? A política econômica continuou e continua, praticamente, a mesma. Também antes de ocupar o cargo no Palácio do Planalto, Lula disse que era contra a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). Eleito, mudou de idéia. Mas se frustrou porque a CPMF não foi prorrogada. Fato que fez o petista afirmar que não adotaria um pacote de imposto para compensar a perda dos R$ 40 bilhões perdidos (mas ganhos pelos contribuintes) com a não prorrogação da contribuição. Porém, amigo leitor, não foi bem isso que aconteceu, pois Lula lançou um pacote que, dentre as medidas, aumentou de 1,5% para 3%, ao ano, o IOF (Imposto sobre Operações Financeiras). O presidente Lula, portanto, me faz lembrar de um personagem de história infantil. Como é mesmo o nome daquele garoto de madeira que, toda vez que não falava a verdade, o nariz crescia? Ah! Lembrei. Pinóquio. Pois é. Se eu pudesse fazer um pedido para a fada madrinha do personagem, pediria para aplicar no presidente Lula o mesmo feitiço que aplicou no Pinóquio. Com isso, toda vez que o petista mentisse, o nariz dele iria crescer. Assim, saberíamos se ele realmente não sabia do mensalão e, melhor ainda, se haverá um novo apagão elétrico no país.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2008

Notícias de morte por febre amarela podem causar histeria


Delírio coletivo? Loucura em massa? Sei lá qual o melhor nome para qualificar o que está acontecendo recentemente no Distrito Federal. Pessoas que já vacinaram contra febre amarela e que não vão viajar para matas ou florestas estão correndo atrás da vacina contra a doença. Mais de meio milhão de pessoas, no DF, receberam a dose. Está certo que não dá para acreditar no governo – talvez um dos mais mentirosos – quando diz que não há risco de uma epidemia. Porém, só porque um caso de morte decorrente da doença veio à tona, todo mundo tem que sair correndo atrás do medicamento, deixando postos lotados e sem vacina quem realmente necessita. Se você está sempre em zona urbana, não precisa entrar em pânico, pois desde 1942 não há registro de contaminação nas regiões metropolitanas. Portanto, gente, pare com essa histeria!

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008

O governo sempre ganha. O contribuinte sempre perde


Era de se esperar que, como sempre, o contribuinte pagaria a conta pela não prorrogação da CPMF. Pelo andar da carruagem, vai ser ele mesmo, principalmente, a classe média. Há quem diga que o corte será nas emendas parlamentares - juntas somam R$ 21 bilhões. Não entanto, descarto totalmente essa possibilidade porque neste ano acontecem as eleições para prefeito e vereador. Portanto, para se fortalecer, o governo não cortará emendas de potenciais candidatos do partido. Muito menos de aliados e da oposição, pois, se isso acontecer, o presidente da república terá muitíssimas dificuldade para controlar o Congresso. Logo, como disse no início, sobrará para o contribuinte.

terça-feira, 8 de janeiro de 2008

Caras de pau dirigem o País da Sacanagem


Devido às histórias bizarras de impunidade de políticos corruptos e aos paradoxos que só acontecem aqui, no ano passado, apelidei a terra tupiniquim de “país da sacanagem”. No entanto, sinto falta de uma alcunha para as excelências que estão no comando do país da sacanagem e que são os atores principais da comédia, nada engraçada. Para minha sorte, caro leitor, minha criatividade foi aguçada, recentemente, por dois fatos. Primeiro, só porque os senadores e deputados federais não vão receber hora extra, eles não fizeram sessões extraordinárias nas férias do começo deste ano, como aconteceu no início de outros anos. Segundo. De acordo com informações do CorreioWeb, “num mês de pouco trabalho, em que nenhum projeto foi votado no plenário da Câmara, 496 dos 513 deputados gastaram R$ 4,8 milhões com a verba indenizatória. Os parlamentares foram ressarcidos depois de apresentaram notas fiscais referentes às despesas de dezembro de 2007 com manutenção de escritório, locomoção, consultoria e divulgação do mandato”. Você percebe, amigo leitor, o descaramento dos sujeitos que trabalham (ou pelo menos deveriam trabalhar) no Congresso Nacional? Qual apelido cai melhor, portanto? Não vejo outro além de CARA-DE-PAU!

domingo, 6 de janeiro de 2008

Próxima terça começa a Big Marmelada Brasil


Mais um Big Brother Brasil (BBB) começa na próxima terça-feira, dia 08 de janeiro. Infelizmente, minha colega de sala, a Taynara, não conseguiu, dessa vez, entrar na casa “mais vigiada do país”. Mas não é tão ruim assim, pois o programa não passa de uma tremenda marmelada. Não falo isso só porque minha colega não conseguiu ingressar na casa. Pelo contrário. Se ela tivesse conseguido, eu continuaria com mesma opinião. Já que, desde o começo, acho o BBB uma tremenda trapaça. O vencedor do programa será sempre aquele que a produção quiser que ganhe. É simples, não é. Como isso é possível? É mais simples ainda. Praticamente ninguém assiste, 24 horas, às câmeras, ao vivo, da casa. O que todo mundo vê é uma edição, feita de acordo com os interesses de quem faz. Por exemplo, o tosco do Alemão ganhou, provavelmente, porquê os telespectadores só assistiam as boas imagens dele. Afinal, qual é o talento daquele sujeito? Não vejo nenhum. Outro caso que desconfio até hoje foi a vitória da Cida. Vocês sabem quem é? A mulher não tem nenhum talento que acabou desaparecendo a mídia. Só para refrescar a memória de vocês, Gecilda da Silva dos Santos, de Mangaratiba (RJ), ganhou o prêmio de R$ 500 mil da quarta edição do BBB. O mais curioso, a babá Cida conseguiu entrar na casa através de um sorteio realizado pela organização do “reality show”. É ou não é uma tremenda coincidência?

sábado, 5 de janeiro de 2008

Blog do Paraíso recebe a visita de número 2000


Gente, hoje o Blog do Paraíso recebe a visita de número 2000. É isso aí. Com apenas seis meses, este blog já teve dois mil acessos. Como já disse, é uma grande honra. Muito obrigado, amigo leitor.

sexta-feira, 4 de janeiro de 2008

Brasília ou DF?


É... Voltei! Não aconteceu nada de interessante nas minhas férias. Bom, mas, pelo menos, elas me serviram como inspiração para escrever este primeiro comentário de 2008. Em meu descanso, não fui para muito longe. Fiquei aqui mesmo, no Planalto Central. Vocês já ouviram falar de uma cidadezinha chamada de Formoso e que fica no noroeste de Minas? Pois é. Fui pra lá. E já no primeiro dia um estranho me estranhou. Ele se apresentou e me perguntou da onde eu era. Crente de que ele não conhecia o Distrito Federal (DF), eu disse que vim de Brasília. Afinal, até eu explicar o que era uma "cidade satélite"... Mas aí o sujeito me perguntou: "Ah, então você mora no Plano Piloto não é? Porque Brasília é só o Plano Piloto". Logo vi que ele queria tirar onda. "Não. Eu moro na periferia do DF", respondi. "Então você não mora em Brasília", disse o estranho. "Depende do contexto", respondi. "Se você quer falar bem do desfile de Carnaval que vai acontecer em Ceilândia, a satélite é Brasília. Mas, se você quer falar dos crimes que acontecem lá, é DF". Ou seja, dessa forma eu quis fazer o sujeito entender que o que define, atualmente, a capital da república é o preconceito.