Blog do Paraíso: Setembro 2011

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Polícia tem indícios de que Ricardo Teixeira é o sócio oculto da Ailanto Marketing

MP pede bloqueio de bens de suspeitos do mensalão do DEM

Ministério Público entrou com seis ações de improbidade administrativa. Entre os processados estão os ex-governadores do DF Arruda e Roriz.

Débora Santos
Do G1, em Brasília

O Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) entrou nesta sexta-feira (30) com ações de improbidade contra os ex-governadores José Roberto Arruda e Joaquim Roriz e outros quatro suspeitos de envolvimento no suposto esquema de corrupção no DF conhecido como mensalão do DEM.

Os procuradores do Núcleo de Combate às Organizações Criminosas pediram o bloqueio dos bens dos suspeitos até o limite de R$ 1milhão para garantir que, caso sejam condenados, eles tenham condições de devolver os valores supostamente desviados dos cofres públicos.

Supremo suspende metade das penas impostas pelo CNJ

(texto publicado na Folha.com)

O STF (Supremo Tribunal Federal) suspendeu quase metade das punições aplicadas pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) a juízes acusados de cometer crimes desde a criação do organismo, informa reportagem de Flávio Ferreira, publicada na Folha desta sexta-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

297 mil residências no DF podem ter a conta de água reajustada pela Caesb

(texto publicado no site do Correio Braziliense)

O valor pago pela tarifa de água de 297 mil residências - pouco mais da metade das instalações ativas no Distrito Federal - sofrerá alteração por conta da atualização do perfil das habitações, que deixaram de ser consideradas rústicas. São 6.800 habitações apenas no Plano Piloto. Os interessados devem receber informativos sobre o reajuste anunciado pela Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) até o fim desta quinta-feira (29/9).

A ação é composta por uma avaliação da companhia a respeito da classe residencial. Isso vem ocorrendo desde abril de 2011 e, desde então, alguns usuários já começaram a pagar o valor corrigido. Quem discordar da conclusão feita pela Caesb poderá recorrer da decisão e tentar manter o gasto atual. Para isso, é preciso agendar uma visita técnica com a empresa e dentro do prazo de 10 dias haverá uma nova avaliação.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Rodízio de veículos automotores é aprovado na CEOF

(texto publicado no site da CLDF)

O Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran/DF) registrava em abril deste ano cerca de 1,2 milhão de veículos automotores no DF, dos quais mais de 920 mil eram carros. Esses números estão no relatório do deputado Cláudio Abrantes (PPS) sobre o projeto de lei que institui o rodízio de veículos automotores no DF. O PL, de autoria do distrital Evandro Garla (PRB), foi aprovado hoje (29) na reunião da Comissão de Economia, Orçamento e Finanças (CEOF).

"É uma discussão polêmica mas que precisa ser iniciada", afirmou Abrantes ao pronunciar parecer favorável à instituição do rodízio de veículos. Em seu relatório, há números que associam o crescimento da renda com o aumento do uso de carros. "O DF é a unidade da federação com renda per capita mais alta e é o lugar com o maior aumento da frota em termos percentuais", constatou o parlamentar.


Leia também:

Casa da QL 10 do Lago Sul é arrematada em leilão

(texto publicado no site do TJDFT)

Uma casa com mais de 800 m2 de área construída em um terreno de cerca de 1mil m2, na QL 10 do Lago Sul, foi levada a leilão, na tarde de hoje (29/9), no átrio Bloco B do Fórum de Brasília. O imóvel, leiloado em segunda hasta, foi arrematado por R$ 3,5 milhões pela construtora Dharma, de Lavras - MG.

Apenas doze minutos depois do horário previsto, começou o leilão que reuniu muitas pessoas e jornalistas interessados na destinação do bem que tem chamado a atenção da sociedade por estar associado a um acusado de envolvimento na Operação Caixa de Pandora.

CNJ diz que 35 desembargadores são suspeitos de crimes

(texto publicado na Folha.com)

Ao menos 35 desembargadores são acusados de cometer crimes e podem ser beneficiados caso o STF (Supremo Tribunal Federal) decida restringir os poderes de investigação do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), informa reportagem de Flávio Ferreira, publicada na Folha desta quinta-feira (a íntegra está disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).

Para esfriar crise, STF adia julgamento que pode limitar poder de corregedoria

Acordo costurado por Gilmar Mendes mantém controle externo da Justiça e tenta evitar agravamento do conflito entre Eliana Calmon e Cezar Peluso

Felipe Recondo / BRASÍLIA - O Estado de S.Paulo

A crise no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a ameaça do Congresso de intervir no caso levaram ontem os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) a buscar um acordo sobre as competências do órgão de controle externo. Pelo que foi acertado, as corregedorias dos tribunais locais terão um prazo determinado para tomar providências sobre denúncias contra os magistrados. Somente quando esgotado esse prazo, e se não houver nenhuma medida concreta, a Corregedoria Nacional terá carta branca para processar o juiz suspeito de irregularidade e cobrar responsabilidades do corregedor local.

Sindicato pedirá revogação do ato que permitiu cirurgia de Eliana Pedrosa

(texto publicado no site do Correio Braziliense)

A direção do Sindicato dos Servidores da Câmara Legislativa e do Tribunal de Contas do DF (Sindical) vai entrar com representação perante a Mesa Diretora para pedir a revogação do dispositivo que permite aos distritais analisarem politicamente casos relativos ao plano de saúde de funcionários e deputados. O Sindical sustenta que o artigo 7º da Resolução nº 243, de 2009, é um risco para o funcionamento do Fundo de Assistência à Saúde dos Servidores (Fascal). Até hoje, a única pessoa beneficiada após a edição dessa regra foi a distrital Eliana Pedrosa (DEM), que, apesar de ter a permissão rejeitada pelo plano, conseguiu autorização da Mesa Diretora da Câmara Legislativa para realizar cirurgia de catarata com despesas pagas pela Casa.

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Ricardo Teixeira e Orlando Silva são convidados a dar explicações no Senado

Câmara aprova R$ 595,8 milhões em créditos suplementares para o GDF

(texto publicado no site da CLDF)

A Câmara Legislativa aprovou na tarde desta quarta-feira (28) cinco projetos de autoria do Executivo, que abrem créditos ao Orçamento do GDF no valor total de R$ 595,8 milhões para diversos órgãos. Os projetos foram aprovados em dois turnos e redação final e seguem para a sanção do governador Agnelo Queiroz.

A maior parte dos recursos, R$ 500 milhões, será destinada ao pagamento da folha de pessoal de professores da Secretaria de Educação e de servidores de órgãos como a Emater e Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania.

Protesto contra a corrupção e fim do voto secreto finca vassouras em frente ao Congresso

Manifesto do PSD sugere Assembleia Constituinte Exclusiva para atualizar a Constituição

Um dia após a aprovação de sua criação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Partido Social Democrata (PSD) divulga, nesta quarta-feira (28), manifesto defendendo a criação de uma Assembleia Nacional Constituinte Exclusiva, em 2014, para tratar da atualização da Constituição Federal. O documento foi lançado durante a primeira reunião do novo partido, o 28 do País, nesta quarta-feira, em Brasília. O texto, assinado pelo presidente da legenda, Gilberto Kassab, foi subscrito pelo presidente do PSD-DF, Rogério Rosso, e pelos dirigentes estaduais do partido. O manifesto traz as primeiras posições e prioridades da nova legenda no cenário político nacional.

Criador do PSD no Distrito Federal, o ex-governador Rogério Rosso tem participado ativamente, nos últimos dias, de todo o processo de consolidação do partido, que culminou ontem com o julgamento pelo TSE do registro da legenda. Ontem, no apartamento do deputado federal Fábio Faria, na Asa Sul, Rosso assistiu ao julgamento ao lado de Gilberto Kassab, acompanhados por dezenas de dirigentes e parlamentares que devem se filiar ao PSD nos próximos dias. “Estamos muito conscientes de nossa responsabilidade de conduzir um dos maiores partidos do Brasil. Brasília segue à risca o projeto nacional de consolidar e fortalecer as idéias que norteiam o PSD”, disse.

Segue abaixo a íntegra do manifesto:

Manifesto à Nação

O Partido Social Democrático nasce voltado para os interesses maiores do Brasil, com dezenas de deputados federais, mais de uma centena de deputados estaduais, dois governadores, seis vices, dois senadores, prefeitos e vereadores de norte a sul do país.

Ao nascer forte e legitimamente - com perspectiva de ser a terceira maior bancada do Congresso - temos o dever de nos impor um desafio à altura do nosso compromisso com o País. Assim, o PSD anuncia com orgulho que está iniciando imediatamente as providências para apresentar, no Senado da República, uma Proposta de Emenda Constitucional para eleger em 2014 uma Assembleia Nacional Constituinte, com parlamentares constituintes exclusivos para concluir seu trabalho revisional no prazo de até dois anos.

Esperando contar com a participação de toda a sociedade brasileira, o PSD retoma, com determinação e coragem, a iniciativa da revisão constitucional prevista já no ato da criação da Constituição de 88.

Dirão que não é o momento. É verdade, já passou do tempo. Frustrada por acontecimentos da época, não foi feita quando devia, em 93, e caiu no esquecimento.

Dirão que é inconstitucional, que é impossível.

Impossível é conviver com remendos constitucionais e improvisações oportunistas, enquanto um pacto federativo superado impõe a Municípios, Estados e a própria União limitações, constrangimentos e falta de recursos para dar aos brasileiros serviços dignos de saúde, educação, segurança, justiça e oportunidade igual para todos.

Há tempos o Brasil está amarrado, travado, perdido em discussões que não prosperam, viciadas ora pelo fisiologismo, ora pelo corporativismo, radicalismo ou problemas menores. Sabemos que mínirreformas ou remendos não resolvem mais.

Há concordância, consenso sobre a necessidade das reformas política, tributária, fiscal, penal, trabalhista, mas estamos paralisados por um imobilismo que precisamos superar pelo bem da nação.

Temos o dever de começar a agir já, a obrigação de acertar nessa batalha pelas reformas estruturais e pela modernização do estado brasileiro. Um trabalho revisional focado, isento, de congressistas revisionais exclusivos.

Nossos congressistas estão hoje e estarão amanhã ocupados com a discussão dos nossos problemas imediatos e importantes do dia a dia. E vão precisar estar vigilantes, atentos a problemas que deveremos enfrentar nos próximos anos, por causa da crise econômica da Europa e dos Estados Unidos. Também têm de estar dedicados a eles. O País avançou nas últimas décadas, muito foi feito, mas podemos, devemos e vamos avançar mais.

O PSD que hoje nasce - independentemente da Revisão Constitucional Exclusiva que está propondo - tem convicções e defende, desde já, o voto distrital, com introdução gradual, inicialmente nos 85 municípios com 200 mil ou mais eleitores onde hoje há segundo turno.

O PSD tem posição clara na defesa das liberdades de expressão e opinião e ao direito do cidadão à informação. Somos, por convicção e princípio, contra qualquer tipo de censura, controle, restrição ou regulamentação da mídia.

O PSD será também intransigente na condenação e denúncia pública da corrupção e dos malfeitos. Está ao lado da sociedade, do trabalhador, dos jovens, da família brasileira que exigem respeito ao dinheiro público e comportamento ético, coerência e honestidade de seus governantes e da classe política.

O exercício da Política tem de ser responsável, transparente, não comporta conluios, conchavos ou sombras.

Defendemos a iniciativa e a propriedade privadas, a economia de mercado como o regime capaz de gerar riqueza e desenvolvimento, sem os quais não se erradica a pobreza. Acreditamos num estado forte, regulador, mas democrático e centrado nas suas prioridades sociais.

Apoiamos as políticas sociais aos que mais precisam do amparo do estado, e a necessidade de abrir as portas de entrada do emprego digno para esses cidadãos. Devemos isso ao Brasil que quer e precisa se modernizar, se tornar mais ágil, se libertar das impossibilidades e oferecer, de verdade, igualdade de oportunidade aos que querem se profissionalizar, gerir seu próprio negócio e vencer na vida.

O PSD aposta na agricultura e na pecuária – como parte da cadeia produtiva do agronegócio – que libertou do atraso histórico as populações do campo, transformando antigos proprietários rurais em empresários e criando uma nova classe de trabalhadores especializados e valorizados. Mas fazemos questão de lembrar e valorizar a multidão de pequenos produtores, uma classe batalhadora que carrega o Brasil nas costas.

O PSD apóia e defende a preservação do meio ambiente como fator de sobrevivência do homem e da própria vida do planeta. É possível alargar as fronteiras da produção, de maneira sustentável e responsável.

O PSD exige a exposição clara, em todos os produtos comercializados, de todos os impostos ocultos nos preços dos bens e serviços, para que o cidadão saiba o que paga e o que tem direito a receber de volta do Estado. Pago, logo exijo: esse é o cidadão alerta e ativo que queremos.

O PSD defende intransigentemente a Zona Franca de Manaus como pólo de desenvolvimento tecnológico e de geração de empregos.

O PSD anuncia também a criação de seu Espaço Democrático, fundação que reunirá especialistas das diversas correntes de pensamento para debater com a Executiva do PSD os grandes desafios brasileiros. Neste processo, vamos percorrer todos os Estados, ouvindo a sociedade, empresários e trabalhadores para colher, em 27 seminários, subsídios para o Projeto de Um Novo Brasil.

O PSD contará ainda com a experiência de grande parte das lideranças ligadas à UGT – União Geral dos Trabalhadores – sobre políticas de inclusão social e desenvolvimento trabalhista. A UGT integrará órgão específico para somar esforços junto à Executiva Nacional do Partido e à fundação Espaço Democrático.

O PSD afirma que não fará oposição pela oposição. Faremos política para ajudar o Brasil. Nossos adversários não são inimigos a eliminar, mas cidadãos com os quais vamos dialogar, sem violências ou radicalismos.

Temos democracia, direitos, liberdade, conquistas e avanços sociais. Nossa Constituição está aí, em pleno funcionamento. Mas temos ainda enormes desigualdades sociais, fome e injustiças.

Sem violentar direitos e liberdades já conquistados, com a Revisão Constitucional Exclusiva vamos enfrentar os pontos fundamentais que estão travando e obstruindo o desenvolvimento do Brasil. Esse movimento será um pólo construtivo, transformador, de convocação e envolvimento da sociedade.

Com nossas crenças e uma constituinte em 2014, vamos à luta unidos para construir um País mais moderno e desenvolvido, mais ético, justo, e solidário.

Vamos à vitória com nosso trabalho, com fé em Deus e com a força e grandeza dos nossos sonhos!

Gilberto Kassab

Eliana Pedrosa diz que cirurgia de catarata foi dentro da lei

(texto publicado no site da CLDF)

A deputada Eliana Pedrosa (DEM) ocupou a tribuna na sessão ordinária desta quarta-feira (28) para explicar a cirurgia de catarata que realizou neste ano, com recursos do Fundo de Assistência à Saúde da Câmara Legislativa (Fascal) e que foi alvo de reportagem da edição de hoje do jornal Correio Braziliense. "Foi com perplexidade que li a notícia. Os meus olhos são instrumentos fundamentais para o meu trabalho. E a cirurgia de catarata que fiz foi necessária, um direito, pois pago pelo plano de saúde do Fascal desde que sou deputada distrital, há nove anos", justificou.

Pedrosa ressaltou ainda que a resolução que permitiu à Mesa Diretora autorizar a compra das lentes por R$ 4.800, ultrapassando o limite previsto pelos técnicos do Fascal, foi aprovada na legislatura passada e pode beneficiar qualquer usuário do plano. "Não abro mão dos meus direitos. Procurei um bom médico, pois sofri durante meses com problemas de catarata". A parlamentar também associou a denúncia feita pelo jornal à sua atuação como deputada de oposição.

Liliane critica construção de novo centro administrativo para GDF

A deputada distrital Liliane Roriz (PRTB) criticou duramente a construção de um novo Centro Administrativo para o governo do Distrito Federal que será erguido em Taguatinga. A obra foi anunciada pelo Buriti nesta semana. Segundo a parlamentar, o governo erra ao deixar de lado áreas prioritárias como a saúde e a educação para investir numa obra desnecessária e cara.

“Pessoas estão morrendo nas filas dos hospitais e não vemos a mesma boa vontade do atual governador em investir nessas vidas. Enquanto isso, milhões estão garantidos para uma obra que nem mesmo a população foi ouvida”, reclamou. A distrital fez as declarações na manhã desta quarta-feira (27) durante reunião da Comissão de Assuntos Sociais, que foi presidida por ela.

Liliane não descartou solicitar apoio da Justiça e do Ministério Público para tentar adiar os planos do governo. “Além de desrespeitar o projeto original de Lúcio Costa, a construção desse Centro Administrativo vai dificultar a vida de servidores públicos locais que moram na região norte do Distrito Federal, como Planaltina, Sobradinho e Paranoá. O antigo Buritinga já não havia dado certo”, explicou.

Parceria Público-Privada, o novo Centro Administrativo terá uma área total construída de 178 mil metros quadrados. O pagamento será facilitado. De acordo com o consórcio responsável, formado pelas empresas Odebrecht e Via Engenharia, no primeiro ano o GDF vai pagar R$ 4,4 milhões mensais. Um ano depois, quando o complexo estiver concluído, esse valor passará para R$ 14 milhões, que poderão ser pagos durante 20 anos. A expectativa é de que o prédio abrigue 15 mil servidores públicos.

Impeachment de Agnelo: e agora, deputado Patrício?

(texto publicado no Blog do Donny Silva)

Está nas mãos do presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, deputado Patrício (PT), o pedido de afastamento e impeachment do governador Agnelo Queiroz (PT). O clima ficou extremamente tenso ontem na CLDF após ingresso do pedido na casa. Ainda ontem, deputados da base aliada de Agnelo fizeram várias reuniões para tentar desqualificar o pedido feito por advogado. Aliás, o pedido é bastante consistente. Será que os deputados distritais permitirão que Agnelo, que tem os bens pessoais bloqueados pela justiça, continue à frente do governo do Distrito Federal? A Câmara Legislativa continuará omissa quanto as muitas denúncias contra o governador do DF? São perguntas que precisam de respostas imediatas.

A Casa do Terror

(texto publicado na revista eletrônica Quid Novi)

Nos últimos anos, Brasília vive momentos de total degradação política. Arapongagem, com grampos, chantagens, extorsão e por aí vai...Isto porque a corrida para o Governo do DF começa com métodos nada ortodoxos. O camarada Agnelo Queiroz, governador do DF desde janeiro de 2011, ex-PC do B e agora Petista, pelas mãos de Lula, herdou o serviço de alguns pontos chamados por seus companheiros, de ”aparelhos”, onde empresas contratadas passam o tempo todo bisbilhotando a vida alheia.

Foi descoberta, no coração de Brasília, uma mansão alugada pelo grupo de Agnelo e Filipelli, onde funciona o “aparelho”, conhecido na ditadura como esconderijo dos chamados pelos militares de “subversivos.”

É na QL 12, conjunto 4, casa 2, na Península dos Ministros, no Lago Sul, bairro onde residem praticamente todas as autoridades que comandam o país, que está instalada clandestinamente a TRUESAFETY, empresa de monitoramento de informação e contra informação, comandada pelo ex-delegado da Polícia Civil, Celso Ferro, e o militar da ABIN – Agência Brasileira de Informações Acir Pitanga Seixas.

O caldeirão está fervendo em Vicente Pires

(texto publicado no Blog do Sombra)

Após a Operação Acton realizada ontem pelo NCOC e Polícia Civil do Distrito Federal, moradores de Vicente Pires estão dispostos a apresentar denúncia sobre a "negociação" de um terreno que seria destinado à construção de um posto de saúde em Vicente Pires.

Segundo fontes do blog, a tal liberação para construção de um prédio de apartamentos, teve a participação de um candidato a deputado distrital nas eleições de 2010, um fiscal da AGEFIS que ocupava cargo de chefia durante o governo Arruda e uma servidora pública que ocupa um cargo de grande visibilidade no Governo Federal. O empresário teria pago na época 300 mil reais pela liberação da área, o valor foi divido em três partes de 100 mil reais e entregues envoltos em saco de papel para embalar pão.

Um advogado que teve parte dos recursos recebidos como honorários pode ser uma testemunha em potencial.

CNJ reage à crítica da corregedoria

Câmara ignora Plano e banca cirugia de catarata para Eliana Pedrosa

Lilian Tahan
(texto publicado no site do Correio Braziliense)

A distrital Eliana Pedrosa (DEM) teve o privilégio de conseguir um benefício médico que a maioria dos servidores da Câmara Legislativa não sabe nem sequer da existência. Os cinco deputados que integram a Mesa Diretora desconsideraram um parecer técnico do Fundo de Assistência à Saúde da Casa (Fascal) para autorizar uma cirurgia de catarata na parlamentar fora dos padrões do plano oferecido aos servidores. Ela se valeu de uma brecha legal, que poucos conhecem, com poder de delegar à esfera política a decisão sobre liberar ou não casos extraordinários. Foi a única entre deputados e servidores a ter esse tipo de autorização desde dezembro de 2009, quando a regra foi criada pelos próprios distritais.

Imprensa brasileira foi à França reclamar de premiação a Lula

(texto publicado no Blog da Cidadania)

Não pode passar batido um dos momentos mais patéticos do jornalismo brasileiro. Acredite quem quiser, mas órgãos de imprensa brasileiros como o jornal O Globo mandaram repórteres à França para reclamar com Richard Descoings, diretor do instituto francês Sciences Po, por escolher o ex-presidente Lula para receber o primeiro título Honoris Causa que a instituição concedeu a um latino-americano.

A informação é do jornal argentino Pagina/12 e do próprio Globo, que, através da repórter Deborah Berlinck, chegou a fazer a Descoings a seguinte pergunta: “Por que Lula e não Fernando Henrique Cardoso, seu antecessor, para receber uma homenagem da instituição?”.

No relato da própria repórter de O Globo que fez essa pergunta constrangedora havia a insinuação de que o prêmio estaria sendo concedido a Lula porque o grupo de países chamados Bric’s (Brasil, Rússia, Índia e China) estuda ajudar a Europa financeiramente, no âmbito da crise econômica em que está mergulhada a região.

A jornalista de O Globo não informa de onde tirou a informação. Apenas a colocou no texto. Não informou se “agrados” parecidos estariam sendo feitos aos outros Bric’s. Apenas achou e colocou na matéria que se pretende reportagem e não um texto opinativo. Só esqueceu que o Brasil estar em condição de ajudar a Europa exemplifica perfeitamente a obra de Lula.

Já passou da hora de Ricardo Teixeira dar explicação para o povo brasileiro, afirma deputado Romário

Sul-africanos relatam a brasileiros desilusões e prejuízos da Copa

Um ano depois de terem sediado o Mundial de Futebol, sul-africanos contam como sociedade não se beneficiou do evento. Diálogo entre movimentos sociais quer alertar brasileiros para os riscos

(texto publicado no site da agência Deutsche Welle)

Um ano depois da Copa do Mundo na África do Sul, movimentos de classe sul-africanos têm um parecer sobre como será o evento no Brasil, em 2014: "Os problemas no Brasil deverão ser muito piores. No caso brasileiro, há despejo em massa, muito dinheiro público sendo gasto. Haverá implicações sérias para a sociedade brasileira em termos econômicos". A advertência é de Eddie Cottle, do Building and Wood Worker´s International (BWI), federação internacional que reúne trabalhadores da construção civil.

Isso não quer dizer, no entanto, que a experiência sul-africana tenha sido livre de incidentes. Cottle, que está lançando um livro sobre o legado da Copa 2010, diz que, embora ainda haja o sentimento de orgulho, a população vive uma grande desilusão. "Sediar um evento esportivo dessa magnitude fez com que as pessoas tivessem expectativas altas. Mas um ano depois, ficou claro que não houve ganhos econômicos de verdade."

No fim das contas, a Copa do Mundo somou apenas 0,3% ao Produto Interno Bruto da África do Sul no ano passado, bem inferior à projeção inicial de 3%. Quando o evento acabou, os trabalhadores sul-africanos voltaram à vida de antes, sem sentir melhorias no cotidiano e sem terem mais oportunidades de emprego. "Ficou claro que a Copa do Mundo era um veículo para o setor privado lucrar", completa Cottle.

Leia mais


Leia também:

terça-feira, 27 de setembro de 2011

GDF repete erros do passado


Cobrar do governo de Agnelo Queiroz (PT-DF) o que não foi feito nos último 10 anos é muita injustiça. Agora, não é de mais exigir que a atual gestão não cometa os mesmos pecados do famigerado governo de José Roberto Arruda (ex-DEM). Um deles é fazer propaganda enganosa. A entrega simbólica das bicicletas para os estudantes do Recanto das Emas, por exemplo, foi uma tremenda palhaçada – veja o vídeo acima.

A propaganda enganosa das bicicletas é semelhante a várias outras que foram usadas no governo Arruda, como aquela que expôs no eixo rodoviário dezenas de ônibus que substituiriam as sucatas que circulavam em Brasília. Depois, a verdade veio à tona e foi revelado que as sucatas continuam circulando – veja o vídeo abaixo:
Com exceção do pessoal da extrema direita, sobretudo os ligados ao rorizismo, ninguém está torcendo para o governo de Agnelo Queiroz dá errado só porque é do PT. A sociedade, e com muita razão, quer apenas que o governo do Distrito Federal (GDF) não cometa os erros do passado. Os brasilienses não querem propagandas enganosas para encobrir o óbvio. Não querem que a especulação imobiliária prevaleça sobre a preservação do meio ambiente e a urbanização ordenada. Os brasilienses querem um transporte público digno e de qualidade, assim como deve ser a saúde pública e a segurança. Tudo isso sem corrupção.

O que está em jogo como o sucesso ou fracasso do atual governo não é o nome de Agnelo Queiroz e, sim, a sigla PT. De toda a história do Distrito Federal, esta é a segunda vez que os brasilienses dão uma chance ao Partido dos Trabalhadores. Se esta chance não for bem aproveitada, vai demorar vim uma terceira. O governo petista de Cristovam Buarque, hoje senador pelo PDT-DF, por exemplo. Teve sua chance em 1994. Não aproveitou. Não se reelegeu e o PT só voltou ao GDF 16 anos depois. E isso porque aconteceu o escândalo revelado pela operação Caixa de Pandora da Polícia Federal. Se não fosse pela Caixa de Pandora, talvez o governador do DF fosse de outro partido.

Inquérito do mensalão do DF entra em fase final

Débora Zampier
Repórter da Agência Brasil

Brasília - Ao completar dois anos de tramitação no Superior Tribunal de Justiça (STJ), o Inquérito nº 650, que investiga o esquema de pagamento de propina no governo do Distrito Federal (DF), ainda não indicou a responsabilidade de cada um dos envolvidos no processo. Investigada pela Operação Caixa de Pandora e conhecida como mensalão do DEM, a ação ilegal resultou na prisão do então governador do DF, José Roberto Arruda.

De acordo com a subprocuradora-geral responsável pelo caso, Raquel Dodge, o Ministério Público Federal (MPF) estava preocupado em complementar as provas com perícias para não haver surpresas no futuro. A chegada de dados importantes na semana passada deu início à fase final do processo, que é a análise das provas para a atribuição de culpa aos envolvidos.

“É bom quando você chega ao final da investigação e vê que não foi em vão. As perícias feitas e todos os documentos colhidos mostram um sistema de corrupção que estava em pleno funcionamento e que envolvia pessoas importantes do governo do DF. Agora temos que definir a participação de cada um nisso”, afirmou, em entrevista exclusiva à Agência Brasil.

A expectativa é que o texto esteja pronto até o final deste ano, mas ela prefere não dar um prazo para que isso ocorra. A subprocuradora mudou a rotina para se dedicar integralmente ao caso a partir de agora e lembra que o processo principal já tem cerca de 40 mil páginas, fora os apensos e os avulsos.

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Indústria da morte em Brasília ainda trata os mortos com descaso

Saulo Araújo
(texto publicado no site do Correio Braziliense)

A indústria da morte em Brasília ainda trata com descaso quem precisa enterrar seus entes queridos. Há três anos, os moradores da capital assistiram horrorizados às denúncias envolvendo cemitérios e funerárias da cidade. Má conservação das unidades, cobrança abusiva de taxas, exumações clandestinas e até caixões reaproveitados culminaram na criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Ossos, sepultada cinco meses após o início dos trabalhos dos deputados (Leia Memória). Pouca coisa mudou até o cenário atual. Basta uma volta pelos seis cemitérios do Distrito Federal para ter uma noção dos desmandos. Túmulos quebrados, mato alto e insegurança são apenas alguns dos problemas identificados pelos frequentadores.


Comentário deste Blog: Talvez as seguintes informações expliquem porque a CPI dos Cemitérios foi enterrada de uma hora para outra e não deu muito resultado: o presidente da Comissão era o ex-deputado distrital Rogério Ulysses (ex-PSB-DF). De acordo com as investigações da Polícia Federal (PF), Rogério Ulysses é suspeito de receber uma suposta mesada do ex-governador José Roberto Arruda (ex-DEM-DF); o vice-presidente era Júnior Brunelli (PSC-DF), ex-deputado distrital que aparece em vídeos recebendo maços de dinheiro e fazendo a “oração da propina”; e o relator da CPI dos Cemitérios era o deputado distrital Benício Tavares (PMDB-DF), conforme as investigações da PF, suspeito de receber o suposto mensalão do DEM.

Na época, antes de assumir a secretária de Desenvolvimento Social do governo Arruda, a deputada distrital Eliana Pedrosa (DEM-DF) era uma das donas da empresa que administrava o cemitério Campo da Esperança, o mais importante de Brasília. Depois que assumiu a secretaria, a distrital era responsável por fiscalizar os cemitérios. A CPI terminou e não indiciou a deputada distrital. Mesmo assim, a responsabilidade pela fiscalização dos cemitérios foi transferida para a Secretaria de Justiça.

Neste vídeo abaixo, uma matéria do CQC, feita quatro meses após o sepultamento da CPI dos Cemitérios, em 2008, continua atual. O repórter e humorista Rafael Bastos pergunta para a deputada distrital Eliana Pedrosa por que ela não continua responsável pela fiscalização dos cemitérios, já que não houve nenhuma irregularidade na sua gestão. “Se foi um trabalho bem feito, não precisava ter largado, não é verdade?”, pergunta o repórter do CQC. Veja no vídeo abaixo:

domingo, 25 de setembro de 2011

Senador José Sarney é homenageado no Rock in Rio


A banda Capital Inicial foi uma das atrações do segundo dia do “Rock in Rio”. O vocalista da banda, Dinho Ouro Preto, dedicou a música “Que país é esse?” ao presidente do Senado Federal, José Sarney (PMDB-AP). Na ocasião, até o público homenageou o senador cantando “Ei, Sarney! Vai tomar no cu”. Veja o vídeo acima.

GDF insiste na 901 Norte

Apesar da mobilização de arquitetos e urbanistas contrários à construção de novo setor hoteleiro, governo encaminha proposta de expansão para avaliação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional

Naira Trindade_ Brasília147 – O governo do Distrito Federal avança com a intenção de expandir o setor hoteleiro para a Quadra 901 Norte. Nem mesmo um abaixo assinado de 139 arquitetos e urbanistas de Brasília desestimulou o secretário de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Sedhab), Geraldo Magela, a enviar a proposta de construção na área para avaliação do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). A mudança da destinação da quadra, no entanto, não está prevista no Plano de Preservação do Conjunto Urbanístico de Brasília (PPCUB), discutido neste sábado na Câmara Legislativa.

A intenção do governo é construir um complexo de prédios que agreguem hotéis, shoppings, restaurantes e áreas de lazer no terreno de 85 mil metros quadrados, no coração de Brasília, destinado originalmente a escolas, igrejas, instituições de ensino e de saúde. A sugestão é mudar a Norma de Gabarito de Brasília que delimita a altura máxima de prédios em 9,5 metros na região para 45 metros. Assim, as empresas que comprarem o terreno – avaliado em R$ 700 milhões – poderão construir prédios de até 15 andares.

Nas cinco laudas do manifesto, arquitetos e urbanistas embasam as argumentações contrárias nas normas de gabarito e na lei federal que rege o tombamento de Brasília. Eles mostram que a insistência do governo em dar continuidade ao projeto provoca a “desfiguração da área central do Plano Piloto ao quebrar a simetria entre os setores centrais sul e norte e ao extrapolar os limites geométricos do setor central norte.”

Gilmar contra a PF

Ministro do STF fica irritado com manobras que policiais estariam fazendo para beneficiar o senador Gim Argello. O político é suspeito de desviar recursos públicos, e o tribunal exige mais empenho na investigação

Izabelle Torres
(texto publicado no site da revista IstoÉ)

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, está enfurecido com a Polícia Federal. No início do ano, chegou a suas mãos uma denúncia do Ministério Público Federal segundo a qual manobras estariam sendo feitas por agentes da PF para adiar o desfecho de uma investigação contra o senador Gim Argello (PTB-DF). O parlamentar é investigado por ter supostamente desviado recursos públicos, por meio de licitações, quando era vice-presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, entre 2003 e 2004. Ao ler o processo, do qual se tornou relator no STF, Mendes não só endossou os argumentos do MP, como ficou abismado ao tomar conhecimento de que procedimentos básicos e preliminares demoravam demais a serem realizados pela PF porque testemunhas não eram localizadas e autoridades indiciadas recebiam tratamento privilegiado, além do previsto em lei.

Mansão de Durval Barbosa avaliada em R$ 4,3 milhões vai a leilão

Ana Maria Campos
(texto publicado no Correio Braziliense)

Uma mansão em área nobre de Brasília é a primeira chance de o contribuinte ver de volta aos cofres públicos parte dos recursos desviados por Durval Barbosa, o delator da Operação Caixa de Pandora. A Justiça vai leiloar, na próxima quinta-feira, uma casa na QL 10 do Lago Sul com 862,58 metros quadrados de área construída, em que cada tijolo foi pago com dinheiro de contratos de informática do Governo do Distrito Federal. O imóvel de luxo pertencia a Durval e, por decisão judicial, será vendido como medida para ressarcir parte do prejuízo causado pelo esquema de corrupção que vigorou na capital do país ao longo de 10 anos.

sábado, 24 de setembro de 2011

Ônibus pega fogo na BR-020


Comentário deste Blog: senhoras e senhores, é apenas mais um caso isolado, assim como aconteceu no Eixo Monumental, no mês passado. Mas será mesmo que este ônibus estava em situação diferente do ônibus que matou três pessoas em Sobradinho em agosto, ou o que matou uma trabalhadora em 2009, no viaduto do aeroporto? Pelo visto, andar de ônibus no Distrito Federal é perigoso.

Leia também:


Esquema de corrupção envolvendo auditores da Agefis funcionava há um ano

Thiago Lins - Especial para o Corrreio
Lucas Tolentino
(texto publicado no site do Correio Braziliense)

Após a Operação Action nesta sexta-feira (23/9), que desmontou um esquema de corrupção envolvendo auditores fiscais da Agência de Fiscalisação (Agefis), empresários e grileiros, a Polícia Civil explicou como os envolvidos agiam. No total, 12 pessoas estão presas provisoriamente e uma é considerada foragida. Agentes da Divisão Especial de Repressão ao Crime Organizado (Deco) investigaram o grupo por quatro meses após uma denúncia. Segundo a polícia, o esquema existe há pelo menos um ano.

O trabalho envolveu 200 agentes da Polícia Civil e começou por volta das 6h. Além dos 13 mandados de prisão, a 1ª Vara Criminal de Taguatinga expediu 22 mandados de busca e apreensão. Estão detidos os auditores da Agefis Amarildo Endlich Pedro, 46 anos, Moises de Carvalho Lima, 38, Carlos Alberto Oliveira Costa, 56, e Erondes Alves da Silva, 49, os empresários do ramo da construção Reynaldo Wagner Taveira, 51, e José Volteir de Oliveira Rios, 53, os grileiros e parceladores de terra Antônio Emilson Soares, 54, Cláudio Raider Simões, 34, Carlos Eduardo de Andrade Muniz, 39, que é soldado do Corpo de Bombeiros, José Benedito Lustosa Rocha, 50, Leonidas Alves Santana, 52, e Antônio Carlos de Andrade, 40. O último, que tem a função de grileiro, ainda não foi localizado.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

"Sistema cicloviário é muito mais do que construir ciclovias", critica promotor

(texto publicado no site da CLDF)

O sistema cicloviário foi assunto recorrente na solenidade de lançamento da Frente Parlamentar da Mobilidade Urbana Sustentável, na manhã de hoje (23), no plenário da Câmara Legislativa. O evento, presidido pelo deputado Joe Valle (PSB), foi espaço para críticas à forma como os governos têm tratado essa modalidade de transporte. "Sistema cicloviário é muito mais do que construir ciclovias", criticou o promotor da Ordem Urbanística do Ministério Público do Distrito Federal, Dênio Augusto Moura.

Segundo o promotor, ainda falta muito para implementar o que a legislação detemina. "A questão tem que ser vista como um sistema. É essencial que haja estrutura para atender os ciclistas, como vestiários e bicicletários", defendeu.Como exemplo emblemático, Moura citou o caso da Estrada Parque Taguatinga-Guará (EPTG). A lei determina que todas as rodovias em construção no DF devem ter ciclovias. "Por que isso não foi implementado na EPTG?", questionou.

CLDF lança Frente Parlamentar da Mobilidade Urbana Sustentável

(texto publicado no site da CLDF)

"Uma lógica de ruptura". Assim o deputado Joe Vale (PSB) definiu o objetivo que ele busca alcançar com outros deputados e representantes do governo e da sociedade civil, com o lançamento, hoje (23), da Frente Parlamentar da Mobilidade Urbana Sustentável.

Segundo o deputado, a frente terá um enorme desafio, a começar pelo fato de que "Brasília foi planejada para os automóveis". Joe Valle criticou também o que chamou de "sucessão de equívocos nos planejamentos urbanos realizados na cidade". O parlamentar disse ainda que se a frente conseguir realizar pequenas mudanças já será um avanço para a sociedade.

O professor da Faculdade de Arquitetura da UnB, Benny Schvasberg, no entanto, depois de dura manifestação sobre a gestão urbana de Brasília, avisou que "não vê saídas razoáveis" para os problemas da cidade, especialmente diante do que consta na revisão do Plano Diretor de Ordenamento Territorial (PDOT) enviada pelo governo à Câmara, que, segundo o professor, não "dialoga com o conjunto metropolitano".

Seguindo a mesma linha, o presidente do Instituto dos Arquitetos do Brasil/DF (IAB/DF), Paulo Henrique Paranhos, apontou alguns indícios da falência urbana da cidade, detendo-se na adoção, segundo afirmou, de um "sistema ultrapassado de mobilidade", representado pelo VLT (Veículo Leve sobre Trilhos). Segundo Paranhos, o VLT não é adequado para o traçado urbanístico da capital.

O diretor-superintentente da Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), Marcelo Contreiras Dourado, concordou integralmente com os demais oradores, afirmando que "Brasília está na UTI, sufocada, paralisada" e que o modelo de mobilidade urbana da cidade é "esquizofrênico". Para ele, o trem é uma alternativa para o transporte a longas distâncias, prometendo colocá-lo como opção de mobilidade, a começar pela reativação do trecho Brasília/Luziânia.

Ministério Público e Polícia Civil fazem operação conjunta na Agência de Fiscalização do DF

(texto publicado no site do MPDFT)

O MPDFT, por meio do Núcleo de Combate às Organizações - NCOC, em conjunto com a PCDF, por meio de sua Divisão de Combate ao Crime Organizado - DECO, realizaram na manhã de hoje o cumprimento de 13 mandados de prisão temporária e 22 mandados de busca e apreensão expedidos pela 1ª Vara Criminal de Taguatinga- DF.

Trata-se de investigação envolvendo organização criminosa composta por Fiscais da AGEFIS - Agência de Fiscalização do DF, empresários, corretores de imóveis e grileiros. Dentre os delitos investigados estão os crimes de Corrupção, Concussão (extorsão praticada por servidor público) e tráfico de influência. O grupo criminoso atuava prioritariamente na região de Águas Claras, Taguatinga e Ceilândia.

Informações sobre os fatos investigados podem ser enviadas ao Ministério Público por meio dos emails ci@mpdft.gov.br ou ouvidoria@mpdft.gov.br, resguardado o sigilo.

Dilma defende o fim das armas nucleares e uma forte fiscalização global

Denise Rothenburg - Enviada Especial
(texto publicado no site do Correio Braziliense)

Nova York — Se havia alguma dúvida da posição brasileira a respeito da energia nuclear por causa da amizade entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, a presidente Dilma Rousseff a dissipou. Ontem, ao participar da reunião de Alto Nível sobre Segurança Nuclear nas Nações Unidas, Dilma defendeu a destruição de todo o arsenal nuclear do mundo e ainda uma fiscalização desse conjunto químico. Para completar, lembrou que a configuração atual do Conselho de Segurança da ONU se deve a esses armamentos.

O posicionamento de Dilma é a mais incisiva declaração de um chefe de Estado até agora sobre o tema. “A segurança desse acervo militar nuclear merece tanta consideração quanto a dos materiais utilizados para fins pacíficos. Seria, sem dúvida, necessário para fins de segurança fiscalizar ambos. É imperativo ter no horizonte previsível a eliminação completa e irreversível das armas nucleares. A ONU deve preocupar-se com isso”, defendeu.

Corrupção pode ser mais prejudicial ao combate à pobreza do que crise econômica, diz diretor do Pnud

Carolina Pimentel
Repórter da Agência Brasil

Brasília – A corrupção pode ser um entrave maior do que uma crise econômica quando o assunto é combater a pobreza no mundo. A avaliação é de Selim Jahan, diretor do Grupo de Redução da Pobreza do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), sediado em Nova York, nos Estados Unidos.

O diretor reconhece que a crise econômica vivida pelos Estados Unidos e pela Europa afeta o trabalho de diminuição do número de pobres no mundo porque diversas nações dependem da ajuda externa vinda de países mais ricos para combater a pobreza, principalmente os da África. Ele alerta que a corrupção também tem impacto negativo, porque o dinheiro a ser usado é perdido.

Apartamento funcional de 160 m² é transformado em déposito de queijo

Luiz Roberto Magalhães
(texto publicado no site do Correio Braziliense)

Encravada no coração da capital, praticamente colada ao Banco Central e à Esplanada dos Ministérios, a SQS 203 é um dos endereços mais nobres do Plano Piloto. Seu metro quadrado é orçado no mercado imobiliário em torno de R$ 8 mil. E é ali, no Bloco H, precisamente no apartamento 303, que mais um desrespeito no uso de imóveis funcionais ocorre diariamente, sob a inusitada forma de queijos, especificamente da marca Tirolez.

O apartamento de 160m² e três quartos é avaliado em cerca de R$ 1,3 milhão. Há mais de uma década, a proprietária, a Secretaria de Patrimônio da União (SPU), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, tenta, em vão, reaver o bem público. A Portaria n° 1.324, publicada no Diário Oficial de 3 de setembro de 1999, determinou “rescindir o termo de ocupação do imóvel residencial funcional situado na SQS 203, Bl. H, aptº 303, em nome de Clineo Monteiro França Netto”.

Clineo é um dos 498 inquilinos envolvidos atualmente em casos de ocupação irregular de imóveis da União no Distrito Federal (leia para saber mais). O Ministério do Planejamento gasta, por ano, cerca de R$ 5,15 milhões apenas com a manutenção de residências funcionais na capital. Clineo se mudou para o apartamento em 29 de fevereiro de 1980, após ter sido nomeado para cargo DAS no Ministério do Trabalho, onde ficou de 1980 a 1985, ano em que deixou a pasta — e o cargo que lhe dava direito à moradia especial. Mas ele nunca desocupou o imóvel.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

DEM vai pedir a cassação do mandato de Roberto Policarpo

O presidente do diretório regional do Democratas em Brasília (DEM-DF), Alberto Fraga, afirmou por meio de seu twitter que o seu partido vai entrar com uma representação no Conselho de Ética da Câmara Federal pedindo a cassação do mandato do deputado federal Roberto Policarpo (PT-DF) por quebra de decoro parlamentar.

De acordo com reportagem da revista Veja, Policarpo, que é presidente do PT-DF, é acusado por sem-terra e por um ex-assessor de ter feito uma suposta compra de votos, durante sua campanha para deputado federal, em 2010. Cada voto teria custado 400 reais, segundo o ex-cabo eleitoral do petista Edmilson Lopes e o casal de sem-terra Júlia e Francisco Manoel de Carmo.

Roberto Policarpo foi eleito suplente de deputado federal. Assumiu o mandato porque o titular, Paulo Tadeu, se licenciou para ocupar a Secretaria de Governo do DF. Policarpo nega as acusações. “O que há contra mim são apenas declarações de duas pessoas, sem nada que as comprove. Não conheço nem nunca estive com Francisco Manoel do Carmo”, escreveu o presidente do PT-DF, numa nota divulgada à imprensa.

“Tenho as provas, a Veja tem, o Edmilson tem e são suficientes para ele perder o mandato”, disse o presidente do DEM-DF num segundo post do seu micro blog.

Se o conselho de Ética da Câmara aceitar a representação contra Policarpo e o Plenário der sinais de uma eventual derrota, a saída para o petista seria o seu colega de partido Paulo Tadeu deixar a Secretaria de Governo do DF e assumir o mandato.

Liliane Roriz cobra do governo plano para preservar o Lago Paranoá

O assoreamento do Lago Paranoá está pautando alguns parlamentares da Câmara Legislativa do Distrito Federal. A deputada distrital Liliane Roriz (PRTB), por exemplo, vai cobrar do governo do DF um Plano Diretor do Lago Paranoá, com o objetivo de orientar a atuação do poder público na busca de soluções que minimizem os problemas e impactos ambientais nas bacias hidrográficas do Distrito Federal.

Este blogueiro, via twitter, fez a seguinte pergunta para a distrital: “e quanto as construções na orla do Lago Paranoá? Elas são irregulares e mesmo assim vão permanecer lá? O que a senhora acha?”.

“O Plano Diretor pode trazer soluções para isso também. Sou contra qualquer tipo de irregularidade. Seja de quem for”, respondeu, também pelo micro blog, Liliane Roriz.

De acordo com a assessoria da distrital, o Plano Diretor é um instrumento de preservação dos bens ou áreas de referência urbana, previsto constitucionalmente e também no Estatuto da Cidade. “Não é apenas por ser um cartão-postal de Brasília. A preocupação com o Paranoá é para garantir a manutenção da qualidade de vida de nossa cidade”, justificou a distrital.

O assoreamento do lago tem sido tema de debates entre estudiosos, gestores públicos e ambientais que atuam no Distrito Federal. Entre eles, há o consenso de que a falta de fiscalização e de políticas públicas de estímulo à responsabilidade ambiental resultaram no cenário que é temido hoje no Distrito Federal. “O governo precisa atuar de forma mais enérgica para reverter esse quadro, que é muito preocupante. Não dá mais para adiar esse debate. O lago precisa viver”, reforça Liliane Roriz.

De acordo com recentes estudos apresentados pela Universidade de Brasília e pela Agência Reguladora de Águas (Adasa), o avanço do assoreamento é causado por vários fatores, como o processo de urbanização acelerado e desordenado em áreas próximas aos rios e ribeirões que alimentam o Lago Paranoá. Pesquisadores encontram problemas principalmente nas sub-bacias hidrográficas do Riacho Fundo e do Ribeirão Bananal, que abrangem as regiões de Águas Claras, Vicente Pires, Arniqueiras, Mansões Park Way, Cidade do Automóvel, Noroeste e Varjão, todas com uma grande quantidade de construções.

Para se ter ideia, em alguns pontos residenciais do Lago Sul, como na QL 02, QL 04 e QL 06, já dá para perceber com nitidez a redução do volume de água devido ao assoreamento. De acordo com o Instituto Brasília Ambiental, a estimativa é de que o Lago Paranoá tenha perdido, desde a inauguração de Brasília, uma área de aproximadamente 230 campos de futebol.

Empurrando com a barriga

Depois de três dias, Diário da Câmara Legislativa não traz nenhuma exoneração de servidor enquadrado em nepotismo. Discurso dos deputados distritais é um, mas a prática é outra

Priscila Mesquita_Brasília247 – O Departamento de Recursos Humanos (DRH) da Câmara Legislativa não recebeu, até agora, nenhum formulário de exoneração de servidor. O documento precisa ser enviado pelos gabinetes - com assinatura do deputado - para que o processo de demissão comece. A manobra é uma saída para retardar as exonerações.

A Câmara já conhece grande parte dos casos de nepotismo. Entre eles os citados pelo Ministério Público, em recomendação enviada à Casa: da família de Sandro Vieira, assessor de Celina Leão (PMN), e José Flávio Oliveira, assessor de Liliane Roriz (PRTB), cuja esposa trabalha com Celina.

Para ficar com ele

RENATA LO PRETE - painel@uol.com.br
com LETÍCIA SANDER e FÁBIO ZAMBELI
(texto publicado no jornal Folha de S. Paulo)

A vitória folgada de Ana Arraes (PSB-PE) na disputa pela vaga no Tribunal de Contas da União foi fruto de uma espécie de torneio, envolvendo expoentes governistas, da oposição e do nascituro PSD, para ver quem mostrava mais serviço a Eduardo Campos (PSB-PE). Os motivos de tamanha adulação dizem respeito a 2012 -na romaria para eleger a mãe, o governador levou consigo um mapa das disputas municipais, prometendo colocar seu partido a serviço de quem o ajudasse agora- e a 2014, ano em que ele é cotado para ser tanto um eventual candidato a presidente alternativo do campo governista como vice de muita gente.