Blog do Paraíso: Maio 2010

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Tronos para as excelências

Comentário deste Blog: antes da Operação Caixa de Pandora, somente a cadeira que seria usada para um deputado distrital sentar custaria R$ 4 mil. Agora, com tantos escândalos de corrupção, parece que eles criaram vergonha na cara. O trono sairá por R$ 1,6 mil. Ainda assim, está muito caro. As excelências poderiam economizar ainda mais, afinal, está faltando dinheiro para a saúde, segurança pública e educação. Veja a matéria do DF TV sobre a compra dos móveis para o novo prédio da Câmara Legislativa do Distrito Federal:

De bolsa e armário cheios

Na operação de novembro passado, a PF encontrou R$ 84 mil e US$ 9 mil, tudo em dinheiro vivo, dentro do maleiro do closet de Eurides Brito

Lilian Tahan
(texto e fotos publicadas no Correio Braziliense)



A Polícia Federal encontrou o cantinho de Eurides: na parte superior do closet (1ª foto), havia uma caixa metálica (acima) com dinheiro vivo. A bolsa da distrital afastada do mandato também estava recheada de notas graúdas


sábado, 29 de maio de 2010

Se quiser vencer a eleição para governador, o PT-DF tem que trocar de candidato

Tudo indica que o PT-DF não conseguirá eleger um governador para Distrito Federal nas eleições deste ano.

Antes mesmo de começar a campanha, o candidato escolhido pelos petistas, o ex-ministro do Esporte Agnelo Queiroz, já foi alvejado por várias notícias de corrupção.

Primeiro vieram as notas sobre a participação de Agnelo na exibição de vídeos de políticos recebendo propinas. Depois foram a suposta compra irregular de uma casa e a invasão de um terreno no Lago Sul. Agora vêm as informações do relatório da Polícia Civil sobre a Operação Shaolin que levanta a suspeita de que o ex-ministro teria recebido 256 mil desviados do programa Segundo Tempo do Ministério do Esporte.

O PT-DF, em vez de trocar de candidato e mostrar para a sociedade a disposição de limpar Brasília, tenta convencer que Agnelo é vítima de uma conspiração dos adversários, entre eles, o governador cassado José Roberto Arruda (DEM-DF) e o ex-governador Joaquim Roriz (PSC-DF).

Desconfio de que as notícias de corrupção contra Agnelo Queiroz não são armação dos adversários. Se fossem, elas viriam à tona no período eleitoral ou no auge da campanha.

Mas, se eu estiver errado e as notícias de corrupção contra Agnelo forem mesmo armação dos adversários, isso quer dizer que a situação do pré-candidato petista está preta. Quer dizer que no auge da campanha o pior virá contra o ex-ministro. Os adversários não são tolos a ponto de gastar toda a munição na pré-campanha. Logo, as recentes notícias de corrupção envolvendo o nome de Agnelo Queiroz deveriam acender um sinal amarelo dentro do PT-DF.

Como se não bastasse a ficha suja de Agnelo, o PT-DF ainda articula uma aliança com o PMDB-DF que já foi de Joaquim Roriz. Atualmente, o PMDB-DF possui três deputados distritais. Todos suspeitos de receberem o mensalão do DEM-DF, supostamente chefiado por Arruda.

A eventual aliança do PMDB-DF com o PT-DF poderá fazer do deputado federal peemedebista Tadeu Filippelli o candidato a vice-governador na chapa de Agnelo Queiroz. O problema é que o denunciante do mensalão do DEM-DF, Durval Barbosa, revelou que existe um áudio que comprova um suposto pagamento mensal de 1 milhão de reais para Filippelli.

Com esses candidatos na chapa para a eleição majoritária, o PT-DF não poderá usar o discurso da ética em sua campanha para combater seu principal adversário, o ex-governador Roriz.

A eventual aliança com o PMDB-DF não seria uma boa estratégia. A escolha de Agnelo Queiroz para ser o pré-candidato petista a governador do DF foi um erro. Errar é humano. Persistir no erro é burrice.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Golpes, ONGs e a mala de dinheiro

Agnelo Queiroz, candidato do PT ao governo de Brasília, é acusado de receber R$ 256 mil desviados de programa do Ministério do Esporte

Murilo Ramos e Marcelo Rocha
(texto publicado no site da revista Época)

O ex-ministro do Esporte e candidato do PT ao governo do Distrito Federal, Agnelo Queiroz, terá um caminho duro até as eleições de outubro. Um obstáculo difícil será superar o adversário Joaquim Roriz (PSC), político popular que ficou quase 14 anos no poder e está na dianteira das pesquisas eleitorais realizadas até agora. Antes, porém, Agnelo terá de se defender de denúncias que o relacionam a desvios de verbas do Segundo Tempo, principal programa do Ministério do Esporte no governo Lula.

Uma investigação deflagrada pela Polícia Civil do Distrito Federal no início de abril, batizada de Operação Shaolin, prendeu cinco pessoas, apreendeu documentos e colheu depoimentos sobre o destino de quase R$ 3 milhões repassados pelo ministério a duas associações de kung fu de Brasília. O relatório final da operação compromete Agnelo com um golpe milionário e sugere o envio das informações ao Ministério Público Federal (MPF) para que a investigação seja aprofundada. Os desdobramentos do caso dirão se o ex-ministro terá condições de se livrar das graves acusações ou se ele aumentará a lista dos políticos de Brasília flagrados com a mão no dinheiro público.

ÉPOCA teve acesso ao relatório da Polícia Civil. “Os indícios preliminares colhidos sugerem que Agnelo Queiroz teria se valido de sua condição de ex-ministro do Esporte para se beneficiar de um suposto esquema de desvio de recursos pertencentes a associações que receberam verbas do programa Segundo Tempo”, afirma, no documento, Giancarlos Zuliani Junior, o delegado responsável pela investigação. A origem das irregularidades foi o repasse de R$ 2,9 milhões para a Federação Brasiliense de Kung Fu (Febrak) e para a Associação João Dias de Kung Fu. O maior convênio, de R$ 2 milhões, foi assinado em 2005 pelo então secretário executivo da pasta e atual ministro, Orlando Silva, com a Febrak. A federação teria de desenvolver atividades desportivas com 10 mil alunos da rede pública de ensino enquanto não estavam em sala de aula. O segundo convênio, de R$ 920 mil, foi firmado com a associação em 2006, quando Agnelo não era mais ministro do Esporte. Segundo a polícia, as associações, presididas pelo policial militar, professor de kung fu e suplente de deputado distrital João Dias (PCdoB), se apropriaram de R$ 2 milhões dos convênios sem prestar os serviços combinados.

A investigação sustenta que as ONGs de Dias forjavam a compra de materiais que seriam usados durante as atividades com as crianças, tais como quimonos, jogos de xadrez, damas, varetas e alimentos. As associações teriam atuado em conluio com empresas que forneciam notas fiscais frias para driblar a fiscalização do ministério.


Leia também:

Nem Roriz, nem Agnelo

Abaixo, resposta de Agnelo para a matéria da revista Época:

N O T A  D E  E S C L A R E C I M E N T O

Sob o comando do ex-governador José Roberto Arruda, que foi preso e renunciou ao mandato em razão das graves denúncias de corrupção que vieram à tona nos últimos meses, uma facção da Polícia Civil do Distrito Federal urdiu um suposto inquérito de investigação destinado a atingir a imagem pública de Agnelo Queiroz, pré-candidato do PT ao governo do DF.

Versões desse suposto inquérito, que na verdade é um procedimento investigatório ilegal e clandestino, produzidas sob o patrocínio de agentes públicos incompetentes, mas domesticados e adestrados por interesses subalternos para alcançar resultados manipulados, em claro desafio à Constituição Federal, começam a chegar à imprensa.

O objetivo é interromper a ascensão de Agnelo Queiroz nas pesquisas de intenção de voto para governador.

A falsa investigação, escorada em métodos fascistas, moveu-se com desvio de finalidade ao forjar premissas inverossímeis. Agnelo Queiroz não foi investigado, nem ouvido e, mais grave, sequer indiciado pelo fajuto inquérito. Mas o objeto estava fabricado para que surgisse como protagonista.

Trata-se da tentativa de rescaldar denúncias velhas, que não estão amparadas nas auditorias que o Tribunal de Contas da União e a Corregedoria Geral da União empreenderam na gestão de Agnelo Queiroz no Ministério dos Esportes, a fim de tentar equiparar a biografia política do pré-candidato do PT e de seus aliados ao prontuário policial ostentado por nossos adversários.

O que está em curso nos intestinos da Polícia Civil do Distrito Federal, e que conta com a anuência de facção do Ministério Público do Distrito Federal, é um procedimento de destruição de reputações que guarda similaridade a atos de barbárie cometidos pelos fascistas. Um governador que foi preso e renunciou ao mandato para não ser cassado, seus sócios, asseclas, herdeiros e criadores políticos creem-se capazes de manipular procedimentos policiais, influenciar a imprensa e dirigir decisões do Poder Judiciário com o fim exclusivo de produzir uma vitória eleitoral destinada a lhes devolver o poder político na capital da República.

Não conseguirão. Não voltarão. Resistiremos lutando com todas as armas legítimas da legalidade. Medidas judiciais e administrativas, verdadeiras e legítimas, em ambientes institucionais, serão movidas para que se punam os agentes que desconhecem as garantias constitucionais do Estado Democrático de Direito.

Diretório do Partido dos Trabalhadores no Distrito Federal, Agnelo Queiroz.

Comentário deste Blog: a nota de defesa de Agnelo parece que foi escrita por adeptos da teoria da conspiração. Não há nenhum argumento consistente que rebata as conclusões do relatório da Polícia Civil. A nota de Agnelo se preocupa apenas em criticar a imprensa e a atuação dos policiais.

Augu$to Carvalho pode ganhar 70 mil reais só com processos


Ética? Há, há, há!! Conta outra

Não falem mal do deputado federal Augu$to Carvalho (PP$-DF), ex-secretário de Saúde do Distrito Federal, ainda que sua gestão tenha permitido o depósito da verba federal que deveria ser aplicada na saúde pública (320 milhões de reais); ainda que ele tenha sido processado por falta de remédios; ainda os hospitais públicos tenham piorado muito quando ele foi secretário de Saúde.

Não falem mal!! Quem fizer isso pode ser processado. Só na décima quarta vara cívil de Brasília, o parlamentar processa 13 entidades, sem citar o SindSaúde, que é processado na décima quinta vara cívil.

Em todas as ações, o deputado do PP$ pede indenização de 5 mil reais. Se ele ganhar todas, receberá 70 mil reais. Nada mal para um $ociali$ta. A propósito, as entidades que Augu$to processa são centrais sindicais e partidos da esquerda.

Eis os alvos dos processos na décima quarta vara cívil: CUT, CTB, CGTB, Conlutas, PT-DF, PCdoB-DF, PSB-DF, PCB-DF, PSTU-DF, PSol-DF, PTdoB-DF, PDT-DF e UNE.

Filippelli terá moral para afastar do palanque supostos mensaleiros?

Uma das condições para o PMDB-DF fazer parte da chapa do PT-DF nesta eleição é afastar do palanque os seus deputados distritais suspeitos de receberem o mensalão do DEM-DF – Benício Tavares, Eurides Brito e Rôney Nemer.

Mas como isso será possível, se o presidente regional do PMDB-DF, o deputado federal Tadeu Filippelli, também fizer parte dos mensaleiros?

De acordo com matéria publicada no jornal O Estado de S. Paulo, o denunciante do mensalão do DEM-DF, Durval Barbosa, teria um áudio que comprovaria um suposto pagamento mensal de 1 milhão de reais para Filippelli.

Se for mesmo verdade, com que moral o presidente do PMDB-DF afastará do palanque os deputados peemedebistas envolvidos no escândalo do mensalão do DEM-DF?

O mais provável é que ele não os afastará. E o PT-DF terá que fazer o casamento e aceitar a noiva.

Será que vale mesmo a pena?

Pente fino nas feiras do DF

Feira permanente do Riacho Fundo – I: por causa das irregularidades vários boxes não abrem, o que prejudica o comercio dos demais feirantes.

A Corregedoria-Geral do governo do Distrito Federal e a Polícia Civil farão um pente fino nas feiras do DF. No início deste mês, o Blog do Paraíso publicou seis notas, uma atrás da outra, sobre uma denúncia de um morador do Riacho Fundo – I a respeito das irregularidades da feira daquela cidade.

Na ocasião, o morador, que não foi identificado para não sofrer perseguição dos denunciados, revelou que supostos cabos eleitorais do ex-governador Joaquim Roriz (PSC-DF) e dos deputados distritais Benício Tavares (PMDB-DF) e Eliana Pedrosa (DEM-DF) teriam criado uma associação de feirantes para burlar a legislação que regula o funcionamento das feiras do DF.

Além da feira do Riacho Fundo I, outras feiras poderão passar pelo pente fino da Corregedoria e da Polícia Civil. As autoridades já investigam as supostas irregularidades da feira da Rodoferroviária e da Torre de TV.

O pente fino da Corregedoria e da Polícia Civil começou na quarta-feira (26) e teve prosseguimento nessa quinta-feira (27). A operação foi realizada no prédio do Buritinga, onde funciona a Coordenadoria de Serviços Públicos, responsável pelas feiras do DF.

Leia também:

Corrupção na Feira

Barbosa liga Rodrigo Maia a esquema de Arruda

Delator do 'mensalão do DEM' também diz que o deputado Filippelli, presidente do diretório do PMDB no DF, recebia R$ 1 milhão por mês

(texto publicado no jornal O Estado de S. Paulo)

O delator do "mensalão do DEM" do Distrito Federal, Durval Barbosa, afirmou ao Estado que o presidente nacional do partido, deputado Rodrigo Maia (RJ), era um dos beneficiários do esquema montado pelo governador cassado José Roberto Arruda.

"O acerto do Rodrigo era direto com o Arruda", disse Barbosa. Autor dos vídeos que levaram à queda de Arruda, de quem foi secretário de Relações Institucionais, Barbosa afirmou que a participação do presidente nacional do DEM é uma das vertentes da nova fase das investigações, com as quais colabora por meio de um acordo de delação premiada firmado com o Ministério Público Federal.

"O Ministério Público vai pegar", afirmou, referindo-se à suposta participação de Rodrigo Maia no desvio de dinheiro do governo do Distrito Federal. O ex-secretário também acusou o PMDB de receber pagamentos mensais do esquema de Arruda.

Barbosa conversou com o Estado na quarta-feira à noite, quando participava de uma festa para mais de 500 pessoas numa das casas de eventos mais badaladas de Brasília. Era a abertura de uma feira de noivas...

...O dinheiro, segundo ele, era entregue ao presidente do diretório do partido no DF, o deputado federal Tadeu Filippelli. "Filippelli recebia R$ 1 milhão por mês para o PMDB", afirmou Barbosa. "Inclusive tem um áudio sobre isso", emendou...

Clique aqui e leia a matéria completa

Loteamento de cargos tinha até planilha

Documentos obtidos com exclusividade pelo Correio mostram como o governo Arruda partilhou 2.982 postos de trabalho comissionados entre parlamentares em troca de apoio. Barganha custava R$ 4,36 milhões por mês

Ana Maria Campos
Lilian Tahan
(texto publicado no Correio Braziliense)

A mesada era apenas uma parte do estímulo oferecido aos políticos no Distrito Federal. Deputados distritais, federais e senadores tinham direito a manter pendurado na estrutura do governo um exército de cabos eleitorais. Todos os detalhes do fatiamento da administração pública entre os apadrinhados de aliados do ex-governador José Roberto Arruda (sem partido) eram controlados em planilhas sob a responsabilidade do então chefe da Casa Civil, José Geraldo Maciel, escalado para a missão de manter uma boa relação com a base política. O Correio teve acesso com exclusividade aos registros dos dados armazenados no computador de Maciel apreendido durante a Operação Caixa de Pandora. Mantidos em sigilo no Inquérito nº 650 do Superior Tribunal de Justiça (STJ), os documentos esmiuçam um esquema de partilha do poder com base em critérios inventados para atender a uma hierarquia que estabelece gradações entre os aliados.

Para auditores, Roriz deu início à farra dos contratos

(chamada de capa do Correio Braziliense)

As 48 auditorias elaboradas pelo Tribunal de Contas do DF comprovam que o esquema de corrupção no governo Arruda, detonado pela Operação Caixa de Pandora, começou nas gestões de Joaquim Roriz. A fraude tem origem nos contratos sem licitação entre o GDF e empresas de informática. Os técnicos do tribunal relatam desvios a partir de 1999 no Instituto Candango de Solidariedade (ICS), que chegou a receber R$ 600 milhões de recursos públicos para o pagamento de prestadoras de serviço escolhidas sem licitação. A mesma atribuição cabia à Codeplan, presidida por Durval Barbosa na administração Roriz. Em apenas um caso, o TCDF detectou um prejuízo de R$ 24 milhões. Segundo a análise do tribunal, o modelo de Arruda suprimiu o ICS do esquema de irregularidades, mas seguiu o padrão: gastos volumosos por meio de contratos firmados ao arrepio da lei. A prática passou a ser mantida pelas secretarias do GDF.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Desesperado, DEM apela e faz propaganda de Serra

O Democratas (DEM) apelou. E quem apela, como diz certa frase inteligente, perde. O programa de TV dos Demos exibido nesta quinta-feira (27) retrata o desespero causado pelos resultados das últimas pesquisas de intenção de voto que revelaram o empate e a ultrapassagem da ex-ministra Dilma Rousseff (PT) sob o ex-governador de São Paulo José Serra (PSDB).

Sem nenhum disfarce, o programa de TV dos Demos foi, na verdade, uma propaganda eleitoral do candidato a presidente da República José Serra.

Os demotucanos criticaram bastante o último programa de TV do PT. Quiseram até impedir que fosse ao ar. Não conseguiram e viram o resultado. O programa de TV que associou Dilma com o presidente Lula rendeu bons resultados nas pesquisas que foram divulgadas dias depois.

Convenhamos, o programa de TV do PT foi, sim, uma propaganda eleitoral de Dilma Rousseff, mas disfarçada, afinal, a ex-ministra é filiada ao partido. Agora, o programa dos Demos foi descarado, pois Serra nem é filiado ao Democratas.

O programa de TV do DEM, portanto, foi uma apelação e isso faz os Demos perderem o direito de questionar a propaganda antecipada dos petistas. Os Democratas, e os tucanos também, perderam o direito de questionar a legitimidade da candidatura de Dilma. Perderam o direito de, futuramente, pedir a cassação do mandato da petista, caso seja eleita. Eles perderam, porque apelaram. E apelou, perdeu!

Esta sexta-feira tem ato em defesa do passe livre

Por uma vida sem catracas

Movimento Passe Livre - DF

O passe livre é um direito conquistado nas ruas por meio de ações diretas. Fechamos muitas ruas, ocupamos muitos órgãos públicos e, enfim, lutamos muito por esse direito. Ele foi implementado pelo mensaleiro Arruda de uma forma absurda, que não garantia o passe livre e enriquecia mais os empresários. O Passe Livre, enfim, ficou Dificil.

Há algumas semanas o governo tampão de Rogério Rosso enviou uma proposta de restrição do direito a estudantes carentes, para transformar o passe livre em assistencialismo. Logo de cara encarou resistencia em vários pontos da cidade e parece que está recuando. Mas não se sabe bem que proposta virá a partir daí.

Por isso o Movimento Passe Livre fará, nesta sexta, um ato pra delimitar o que queremos do passe livre: que seja amplo,financiado pelos recursos públicos e, por fim, que avance desde os estudantes até toda sociedade, chegando à Tarifa Zero.

E imediatamente, queremos o fim da Fácil e a Gestão pública do passe livre e dos transportes como um todo.

Data: SEXTA FEIRA, 20.05.2010

Horário: 17 HORAS

Local: NA RODOVIÁRIA DO PLANO PILOTO

Comentário deste Blog: apoiados!

Deputados aprovam cassação de mandato de Eurides Brito

(texto publicado no Correio Braziliense)

O pedido de cassação do mandato da deputada Eurides Brito (PMDB) foi aprovado, por unanimidade, pela Comissão de Ética da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF), durante reunião extraordinária nesta manhã de quinta-feira (27/05). Os integrantes também rejeitaram o requerimento de Eurides que pedia a suspensão do processo de quebra de decoro parlamentar contra ela. Eles entenderam que a deputada deve continuar afastada enquanto o processo é concluído.

Agora, cabe à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) analisar a constitucionalidade da decisão dos deputados e a legalidade das investigações feitas pela Comissão de Ética, sobre o envolvimento de Eurides Brito no suposto esquema de distribuição de proprina no Governo do Distrito Federal (GDF).

Estiveram presentes os deputados Raimundo Ribeiro (PSDB), Batista das Cooperativas (PRP), Paulo Roriz (DEM), Érika Kokay (PT) e o presidente da comissão, Aguinaldo de Jesus (PRB).

Tramitação

O pedido de cassação de mandato será analisado pela CCJ da Câmara e poderá ser apreciado em um prazo de cinco sessões ordinárias, assim como estabelecido na Comissão de Ética. Entretanto, segundo a assessoria de imprensa da deputada Érika Kokay (PT), o pedido pode ser analisado em apenas uma sessão, como foi o caso da Comissão de Ética, que se reuniu pela primeira vez hoje para decidir se aprovava ou rejeitava a cassação de Eurides.

Depois de passar pela Comissão de Constituição e Justiça segue para o Plenário da Casa, que dará a decisão final, na forma de projeto de resolução.

Operação policial no Buritinga

(texto publicado no Blog do Donny Silva)

Desde ontem, a Corregedoria do GDF e a Polícia Civil fazem operação na Coordenadoria de Serviços Públicos do GDF no prédio do Buritinga em Taguatinga.

Na manhã desta quinta (27) auditores, policiais e funcionários da Corregedoria intensificaram a operação e lacraram o prédio onde funciona a Coordenadoria, o primeiro à esquerda na entrada do Buritinga. Revistaram ainda funcionários e veículos. Foi feita uma intervenção no local.

Algumas funcionárias ficaram constrangidas com a revista feita por policiais civis, e outras chegaram a passar mal. O clima continua tenso no local.

TCDF confirma farra de contratos na Pandora

Com cerca de 70% das auditorias sobre contratos do GDF concluídas, o Tribunal de Contas detecta uma série de problemas, desde licitações superfaturadas a falsas pesquisas de mercado

Samanta Sallum
(texto publicado no Correio Braziliense)

Da Operação Caixa de Pandora não param de sair denúncias de má gestão dos recursos públicos para benefício de interesses pessoais e empresariais. E agora aparecem novas confirmações de que o esquema de irregularidades por onde escorria o dinheiro público era voraz. Apuração da força-tarefa do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) referente aos contratos do Governo do Distrito Federal em 2009 constatou superfaturamentos, falsas pesquisas de mercado e desperdícios propositais para justificar gastos. Os auditores apresentaram ontem parte dos resultados das análises. Das 48 auditorias abertas, em dezembro passado, cerca de 70% foram concluídas e o resto está em fase final (veja quadro).

O universo de gastos do GDF analisado pela força-tarefa chega a R$ 354 milhões em 2009, principalmente despesas na área de informática. A auditoria detectou, além de excessiva locação de equipamentos, que os preços dos aluguéis eram bem elevados comparados a contratos semelhantes na área federal. O GDF aceitava pagar R$ 330 por computador, serviço que deveria sair apenas por R$ 60.

Comentário deste blog: estranho. Muito estranho. Só agora o Tribunal de Contas do DF aponta farra nos contratos do GDF. Antes do “pega pra capar” da Caixa de Pandora, parecia que tudo estava em perfeita ordem.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Desculpas esfarrapadas e impunidade entre iguais

A deputada distrital afastada Eurides Brito (PMDB-DF) diz que está num barco e só pode afundar se a embarcação também for junta. Antes desta pérola, ela já havia dito que não renunciava porque acreditava na justiça.

A deputada afastada dá a entender que os colegas, também supostos mensaleiros, não têm condições de cassar seu mandato porque estão com o rabo preso.

Para perder o mandato, o relatório da deputada Érika Kokay (PT-DF) pedindo a cassação de Eurides precisa ser aprovado pela Comissão de Ética da Câmara Distrital e, depois, pelo plenário da Casa, constituído por muitos supostos deputados criminosos. A votação do relatório na Comissão será nesta quinta-feira (27).

Confesso a vocês, amigos leitores, que eu me sinto um imbecil quando vejo as justificativas de Eurides Brito contra as acusações. Eu pensei que a imagem onde a deputada afastada aparece abarrotando uma enorme bolsa com maços de dinheiro seria mais do que suficiente para fazê-la perder o mandato e os direitos políticos. Mas não é, pelo menos, é o que diz Eurides.

Para ela, o vídeo não prova nada e o dinheiro foi recebido honestamente. Como eu sou burro. Por que não pensei nisso antes?

Tudo bem. A imagem não é prova do crime, mas por que aquela enorme quantidade de dinheiro não foi depositada na conta corrente de Eurides? Num mundo tão moderno, não haveria outra forma de pagamento? É perigoso de mais andar com muito dinheiro. Será que a deputada afastada não se preocupou em ser assaltada?

Não vi de Eurides nenhuma explicação para o fato dela ter recebido o dinheiro em espécies. A minha inteligência só consegue supor que a deputada afastada quis driblar a fiscalização e um eventual rastreamento do dinheiro.

Assim como a justificativa para a imagem divulgada no Brasil inteiro, certamente, Eurides deve ter uma explicação para ela ter recebido dinheiro vivo, o que mostrará, mais uma vez, que sou um imbecil.

São Paulo ocupa 117ª posição em ranking de qualidade de vida

(texto publicado no site da BBC Brasil)

A cidade de São Paulo, a maior do país, foi a pior colocada entre as cidades brasileiras em um ranking de qualidade de vida divulgado nesta quarta-feira pela consultoria internacional em recursos humanos Mercer.

A capital paulista aparece na 117ª posição, atrás das outras duas cidades brasileiras incluídas no ranking, Rio de Janeiro (116º) e Brasília (104º).


Observação deste Blog: o candidato a presidente da República, José Serra (PSDB-SP), governou o estado de São Paulo nos últimos três anos. O prefeito daquela capital é Gilberto Kassab, do Democratas, partido que fará parte da chapa de José Serra. São Paulo pode ser exemplo do que eles podem fazer com todo o país.

Importante passo para eleição de administrador regional

Mantido dispositivo da Lei Orgânica do DF sobre participação popular na escolha de administradores regionais

(texto publicado no site do STF)

O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta tarde (26) que é constitucional dispositivo da Lei Orgânica do Distrito Federal (LODF) que determina, de forma genérica, que lei deve dispor sobre a participação popular na escolha dos administradores regionais do DF. Os administradores são, hoje, escolhidos pelo governador do DF.

Aguinaldo de Jesus, novo presidente da CPI da Codeplan

(texto publicado no site da CLDF)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Codeplan, que investiga denúncias de corrupção no governo do Distrito Federal, tem novo presidente: o líder do governo na Câmara, deputado Aguinaldo de Jesus (PRB). Eleito por três votos e duas ausências, ele passa a ocupar cargo que estava vago desde a saída da então presidente da Comissão, Eliana Pedrosa (DEM), no início de abril. Na reunião desta manhã (26), Batista das Cooperativas (PRP) foi escolhido vice-presidente e Paulo Tadeu (PT), confirmado na relatoria.


Comentário deste Blog: a CPI da Corrupção é uma verdadeira piada. Cinco messes após sua criação, não consegue sequer manter seus membros, principalmente, no cargo de presidente, o mais importante da Comissão. Uma prova de que as excelências não querem fazer um trabalho sério de investigação. Esta é uma das razões que motivam o Blog do Paraíso a defender a intervenção federal.

Serra sobe o tom contra Dilma e governo

Pressionado por pesquisas, tucano fez duras críticas ao loteamento de cargos e à falta de planejamento do governo

Andréia Sadi e Adriano Ceolin, iG Brasília

O pré-candidato do PSDB à Presidência, José Serra, subiu o tom nesta terça-feira durante sabatina promovida pela Confederação Nacional da Indústria, em Brasília. Apesar de ter minimizado o crescimento da adversária petista Dilma Rousseff (PT) nas últimas pesquisas, Serra aumentou o tom das críticas três dias após o último levantamento do Datafolha.

Serra usou informação duvidosa ao falar de SP

Investimento não triplicou; a taxa passou de 0,43% do PIB para 0,97%

Comparação negativa sobre investimentos públicos no Brasil é de economista tucano, com dados não auditados

GUSTAVO PATU
DE BRASÍLIA
(texto publicado na Folha de S. Paulo)

O tucano José Serra misturou dados enganosos e de consistência duvidosa ao atacar a escassez de obras públicas no Brasil e exaltar a expansão desses investimentos durante sua gestão no governo paulista.

Diferentemente do que disse, a taxa de investimentos públicos -a participação deles na economia- não chegou a triplicar em São Paulo. Passou de 0,43% para 0,97% do PIB estadual.

Foi triplicado, isso sim, o valor dos investimentos paulistas em moeda corrente, sem descontar a inflação. Pelo mesmo critério, os investimentos federais duplicaram no segundo governo Lula.

Apesar do crescimento, São Paulo é um dos que menos investem como proporção do PIB local. A taxa também é inferior à da União, de 1,03% do PIB em 2009.

A afirmação de que os investimentos públicos no Brasil só superam os do Turcomenistão se baseia em estudo do economista José Roberto Afonso, ligado ao PSDB, a partir de dados de 2007 enviados ao FMI.

O próprio autor ressalva no documento que os dados não foram auditados e podem ter sido apurados por metodologias diferentes.


Atualização: até agora, às 18h e 20 minutos, esta notícia não entrou no resumo do Blog do Noblat. Pelo horário, não entrará mesmo. Este blog interpreta a omissão como um sinal de que o candidato a presidente do jornalista e blogueiro Ricardo Noblat pode ser José Serra (PSDB-SP). Para ter certeza, é bom continuar observando se ele omitirá mais notícias negativas sobre o tucano. Nada contra a preferência de Noblat. Só acho que seus leitores precisam saber, assim como o Blog do Paraíso já revelou que, por enquanto, sua preferência é a continuidade do governo que resgatou a dignidade dos brasileiros, o que será possível com a eleição de Dilma Rousseff presidente do Brasil.

terça-feira, 25 de maio de 2010

A solução para o passe livre

Os três poderes do Distrito Federal (DF) podem estar contaminados com supostos mensaleiros. É evidente a institucionalização da corrupção. A impressão é a de que nenhum serviço funciona sem ter roubo de dinheiro público por trás. Veja o caso do passe livre dos estudantes que é hoje um verdadeiro “samba do crioulo doido”.

Contratada sem licitação, a empresa Fácil, que administra o passe livre, sempre foi motivo de dor de cabeça para o usuário de transporte público. Desde a era Arruda, há tempos o governo ameaça suspender o contrato com a empresa e nada acontece.

Também contratadas sem licitação, as empresas de ônibus, cujos proprietários são donos da Fácil, não deveriam receber nenhum dinheiro para transportar os estudantes. Mas o Governo do Distrito Federal (GDF) é o responsável por pagar, por cada aluno, o preço integral das passagens, muitas no valor de até três reais. Sabe lá Deus quanto cada deputado distrital mensaleiro recebeu para deixar a lei do passe livre uma verdadeira despesa para o GDF.

O mais correto a ser feito seria a extinção da Fácil, após uma profunda auditoria nos seus contratos. Em seguida, a imediata realização de licitação para contratação de empresas de ônibus. Uma das clausulas do contrato seria o transporte obrigatório e gratuito de estudantes, devidamente uniformizados, identificados com documento com foto e com o cartão de presença em sala de aula.

O passe livre para estudantes deve ser visto como uma política pública de incentivo a educação de crianças e jovens. É um benefício nobre que visa cuidar do futuro do país. Passe livre não apenas para o caminho da escola, mas para os teatros, cinemas e bibliotecas. Enfim, passe livre para a cultura.

Somente um interventor apartidário, técnico, ético e sem rabo preso poderia tomar tais medidas.

CLDF envia informações ao STF sobre pedido de intervenção

(texto publicado no site da CLDF)

A Câmara Legislativa protocolou hoje (25) no Supremo Tribunal Federal as informações requeridas pela Corte sobre o pedido de intervenção federal no Poder Legislativo do DF. O documento, elaborado pelo procurador-geral da Casa, Fernando Nazaré, apresenta argumentos em defesa da manutenção do regime democrático e do Estado de Direito.

Câmara lança cartilha sobre ética para orientar eleitores

(texto publicado na Agência Câmara)

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara lançou nesta terça-feira, durante o 2º Fórum Nacional Ética e Cidadania na Sociedade Brasileira, uma cartilha com o objetivo de orientar o eleitor brasileiro na escolha de seus candidatos para as eleições deste ano.

A cartilha "Ética e Cidadania nas Eleições 2010" traz informações sobre a função do voto, o processo eleitoral, e alerta para os principais crimes eleitorais praticados antes e durante as campanhas, como a compra de votos e o uso da máquina administrativa.

Cláudio Avelar não é mais pré-candidato a deputado federal pelo PCdoB-DF

O presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Distrito Federal (DF), Cláudio Avelar, recebeu comunicado de que não será mais candidato a deputado federal. A informação foi passada pela comissão política de seu partido, o PCdoB-DF, na segunda-feira (24).

A decisão pode deflagrar uma crise interna no PCdoB-DF, pois a pré-candidatura de Cláudio foi definida em outubro de 2009, durante a realização da conferência regional do partido.

Alguns militantes comunistas consideram a decisão como uma “rasteira” e prometem retaliação.

Leia também:

Parecer pede cassação de mandato de Eurides Brito

(texto publicado no site da CLDF)

A deputada Erika Kokay (PT) recomendou a cassação do mandato da distrital afastada Eurides Brito (PMDB) por quebra de decoro parlamentar, em relatório apresentado na tarde desta terça-feira (25) à Comissão de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara Legislativa. O relatório será apreciado pelos integrantes da Comissão em reunião extraordinária nesta quinta-feira (27), às 10h, convocada pelo deputado Aguinaldo de Jesus (PRB), presidente do colegiado.

Caso o relatório seja aprovado pela Comissão, a cassação do mandato ainda terá que ser analisada pelo Plenário da Casa na forma de um projeto de resolução. Se o projeto receber 13 votos favoráveis, Eurides perderá o mandato parlamentar.

A relatora do processo concluiu que contra Eurides Brito há indícios de formação de quadrilha, crime de natureza continuada e recebimento de recursos ilícitos. Segundo Kokay, as diligências e os depoimentos colhidos durante o processo evidenciaram várias contradições e não sustentaram a defesa apresentada pela distrital afastada.

Aguinaldo de Jesus nega acordo sobre apoio do PRB ao PT

(texto publicado no site da CLDF)

O deputado distrital Aguinaldo de Jesus (PRB) ocupou hoje (25) a tribuna para refutar a informação veiculada hoje (25) na imprensa local de que o seu partido já tenha fechado acordo para apoiar a chapa do PT ao governo local. "O que houve foi a manifestação individual do presidente local do meu partido", ressaltou o distrital. Ele disse ainda que considera "ainda muito cedo" a definição sobre eventuais coligações.

Zildenor Ferreira Dourado - Coordenadoria de Comunicação Social

PT sela aliança com PRB

Ana Maria Campos
(texto publicado no Correio Braziliense)

O candidato petista Agnelo Queiroz conquistou ontem o apoio do PRB, partido do vice-presidente da República, José Alencar, para sua candidatura ao Governo do Distrito Federal. Com a nova adesão, ele passa a liderar uma coligação com cinco partidos: PT, PCdoB, PSB, PDT e agora PRB. O acordo foi fechado com a presença dos presidentes regionais das legendas. Ao formalizar a aliança, Agnelo estava acompanhado dos dois candidatos ao Senado de sua chapa, Cristovam Buarque (PDT) e Rodrigo Rollemberg (PSB)

Voto três em um

Urnas eletrônicas apresentarão o nome e a foto do candidato ao Senado Federal, além de dois suplentes. Assim, o eleitor poderá saber quem ocupará o cargo na hipótese de o titular do mandato sair. Neste ano, duas vagas estão abertas

Samanta Sallum
(texto publicado no Correio Braziliense)

Os eleitores do Distrito Federal, depois de oito anos, voltam a escolher dois representantes ao Senado. São duas vagas a serem preenchidas na votação de outubro. Uma decisão importante que, agora, terá ajuda extra da urna eletrônica. O novo sistema obriga que apareçam na tela as fotos e os nomes dos suplentes ao Senado. Então, no momento da escolha para senador, serão divulgados três nomes e três fotos: do titular e do primeiro e do segundo substitutos. Dessa forma, o eleitor saberá bem o pacote que estará elegendo ao votar para aquela Casa Legislativa.

segunda-feira, 24 de maio de 2010

Mais detalhes do suposto desvio de 19 milhões de reais da CLDF

A imagem acima (clique nela para ampliar) é uma parte do Diário Oficial do Distrito Federal, publicado em 3 de julho de 2008. Na seção “Atos do Poder Legislativo”, o despacho informa sobre o pagamento da terceira, de cinco parcelas, da dívida da Câmara Legislativa com a Assecam, conforme o processo de número 001000225/2008. Reparem as palavras sublinhadas por este Blog: “por decisão judicial”.

De acordo com matéria publicada no Blog do Kuppê, “não existia decisão determinando cumprimento de nenhuma decisão judicial, o procedimento já havia se transmudado em reconhecimento administrativo de dívida. O Deputado Alírio Neto fez uma consulta verbal se poderia reconhecer administrativamente, ou seja, não há nenhuma decisão judicial passível de vinculação com o caso”.

Das duas uma: o Diário Oficial estaria errado ou o pagamento de 19 milhões de reais à Assecam teria sido feito de maneira irregular pelo então presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal, o deputado distrital Alírio Neto, do PPS-DF.

Para descobrir qual é a alternativa correta, a sociedade precisa cobrar das autoridades competentes uma investigação. Seja do Ministério Público do DF. Seja da própria Câmara Legislativa. Ainda que ambos estejam contaminados com supostos mensaleiros.

Relatório do processo contra Eurides Brito será apresentado nesta terça

(texto publicado no site da CLDF)

O relatório do processo por quebra de decoro parlamentar contra a deputada afastada Eurides Brito (PMDB) será apresentado nesta terça-feira (24). A informação foi dada no início da noite de hoje pela relatora do processo na Comissão de Ética, deputada Erika Kokay (PT).

GDF pagava mais que o dobro do preço de mercado por cópias feitas pela Unirepro

Detalhes do suposto desvio de 19 milhões da CLDF

O jornalista Roberto Kuppê publica nesta segunda-feira (24) os detalhes do suposto esquema que teria desviado quase 19 milhões dos cofres públicos.

O suposto crime teria acontecido quando o deputado distrital Alírio Neto (PPS-DF) era o presidente da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF).

Com uma suposta ajuda do atual sub-diretor Geral da Defensoria Pública do DF, Stefano Borges Pedroso, e da procuradora legislativa Roberta Maria Rangel, Alírio teria conseguido realizar um pagamento de aproximadamente 19 milhões de reais para a Associação dos Servidores, Ex-servidores e Pensionistas da Câmara Legislativa (Assecam) que, na época, era presidida por Flávio Lemos, ex-secretário de Justiça e aliado de Alírio Neto.

O problema é que o pagamento teria sido realizado sem decisão judicial e com um monte de irregularidades que são listadas, uma a uma, pelo jornalista em seu Blog. Clique aqui e confira.

Site recebe denúncias de corrupção

Denúncias de corrupção no Governo do Distrito Federal (GDF) podem ser feitas diretamente no site da Corregedoria-Geral do DF. O denunciante tem a opção de se identificar ou não. E o sigilo é garantido por lei (decreto nº 24.582, de 11/05/2004).

Clique aqui e acesse a página do Sistema de Registro e Apuração de Denúncias (Sirade) da Corregedoria-Geral do DF.

domingo, 23 de maio de 2010

Morram, invejosos!!

A inveja é uma desgraça. Quem me dera se a inveja matasse! Muitos tucanos e demos já estariam mortos! Mortos de inveja do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No início, em 2002, muitos demotucanos e simpatizantes apostavam que o governo do presidente Lula seria um fracasso. Tudo porque ele não sabe falar inglês e não tem curso superior.

Hoje, quase oito anos depois, há provas de que as previsões pessimistas estavam erradas. O governo do presidente Lula deu certo e foi bem sucedido. Tanto que nem o candidato demotucano a presidente da República, José Serra (PSDB-SP), ousa sequer criticar a gestão Lula. Muito menos compará-la com a vergonhosa administração de Fernando Henrique Cardoso.

Recordista de aprovação popular, Lula é o cara. Desta vez, falo sério e, não, com o deboche do presidente americano Barack Obama. Lula é o cara porque seu governo transformou o Brasil.

Antes, ouvi muito que este país não prestava, não dava certo e que estava falido. Hoje, ouço que o Brasil tem uma das economias mais sólidas e é respeitado no mundo inteiro.

Veja o show de diplomacia brasileira realizada no Irã, na semana passada. O país conseguiu fazer o presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, assinar um acordo feito pelos próprios Estados Unidos. Mas o grande problema é a inveja, que desgraça!! Justamente o único presidente que não tem curso superior consegue essa façanha; que inveja! Devem estar se roendo os demotucanos.

É uma pena que inveja não mata. Se matasse, muita gente morrerá quando o presidente recordista de aprovação popular conseguir fazer a ex-ministra Dilma Rousseff presidente do Brasil.

Rogério Rosso se comporta como candidato a governador

Brasília-DF

Por Luiz Carlos Azedo
Com Norma Moura
(nota publicada no Correio Braziliense)

Moita// O governador do DF, Rogério Rosso (PMDB), eleito pelo voto indireto da Câmara Legislativa, come o mingau pelas beiradas. Para não chamar Exú, nega que seja candidato à reeleição, mas se movimenta administrativa e politicamente como quem tem esse objetivo. Aliado do candidato petista Agnelo Queiroz, o deputado Tadeu Fillipelli (PMDB) já deu o alarme de que o PT não deve fazer muita marola.

Força-tarefa contra abusos

Candidatos, principalmente os veteranos, serão monitorados por quatro procuradores, incluindo os do Ministério Público Federal

Lilian Tahan
(texto publicado no Correio Braziliense)

Os escândalos políticos que movimentaram o Distrito Federal nos últimos seis meses aumentaram os holofotes para as eleições de outubro. Eleitores estão escaldados; políticos, amedrontados; e o Ministério Público, de olho. Justamente pelas circunstâncias, a Procuradoria Eleitoral do DF se programa para uma vigilância mais ostensiva este ano. Na última semana, promotores de Justiça se reuniram para traçar as diretrizes de como vão atuar nos próximos meses. Uma das determinações é de que o cerco vai estar mais apertado com os veteranos. A ordem é intensificar a ronda sobre os políticos que são candidatos à reeleição.

Bandarra deve ser afastado

Acusado de receber propina, o chefe do Ministério Público do DF pode não concluir o mandato. Nos bastidores, pelo menos quatro dos 14 membros do Conselho Nacional do MP, que investiga denúncias contra ele, mostram disposição em deixá-lo de fora da instituição

Ana Maria Campos
(texto publicado no Correio Braziliense)

Depois de quatro anos à frente do Ministério Público do DF, o chefe da instituição, Leonardo Bandarra, tem apenas 40 dias pela frente para concluir o mandato. Mas é possível que não consiga passar o cargo para seu sucessor. Antes disso, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) deve instaurar processo administrativo disciplinar contra Bandarra e a promotora de Justiça Deborah Guerner, por falta funcional. A tendência é de que o procurador-geral de Justiça do DF seja afastado da função e encerre sua trajetória de sucesso até a Operação Caixa de Pandora com a suspeita de vazamento de informação privilegiada para beneficiar o ex-secretário de Relações Institucionais Durval Barbosa.

sábado, 22 de maio de 2010

PCdoB-DF pode entrar em crise

O provável acordo firmado entre o PT-DF, o PDT-DF, o PSB-DF e o PCdoB-DF que garantirá a candidatura do advogado Messias de Souza a deputado federal está desagradando alguns militantes comunistas.

Em outubro de 2009, quase um mês antes da operação Caixa de Pandora da Polícia Federal, os dirigentes do diretório regional do Partido Comunista do Brasil realizaram uma conferência que tomou diversas decisões. Dentre elas, a composição de uma chapa única com 48 candidatos a deputados distritais e dois a deputados federais.

Os candidatos a deputados federais seriam o presidente do Sindicato dos Policiais Federais do DF, Cláudio Avelar, e o presidente das Ligas de Esporte dos Condomínios do DF, Carlos Daliga.

Mas, após a revelação do mensalão do DEM, o PCdoB-DF tomou algumas medidas que não foram previstas na conferência. O partido lançou a candidatura de Messias de Souza a governador. Em seguida, retirou e articula um acordo com o PT-DF, o PDT-DF e o PSB-DF para consolidar somente uma candidatura a deputado federal. E não seria de Cláudio Avelar ou de Carlos Daliga, mas, sim, de Messias.

Se o acordo se consolidar, Cláudio Avelar e Carlos Daliga prometem ir ao estremo, o que pode causar uma crise interna no PCdoB-DF.

Roriz passa missão a jornalista que incentiva volta de Abadia

O jornalista Nelson Pantoja, um dos principais incentivadores da volta da ex- governadora Maria Abadia (PSDB-DF) ao cenário político, esteve neste sábado (22) com o pré-candidato a governador Joaquim Roriz (PSC-DF) na festa do Divino Espírito Santo, em Planaltina. Nelson e Roriz tiveram uma longa conversa de pé de ouvido. Sabe-se que o jornalista recebeu várias missões que irá desempenhar a partir de segunda-feira (24). Resta saber quais são as missões.

Dilma sobe 7 pontos e empata com Serra, aponta Datafolha

Tucano cai 5 pontos desde levantamento de abril e ambos aparecem com 37%

Petista atinge melhor marca na série do instituto, lidera na espontânea e também registra empate no 2" turno; Marina se mantém com 12

FERNANDO RODRIGUES
DA SUCURSAL DE BRASÍLIA
(texto publicado na Folha de S. Paulo)

A pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff, atingiu sua melhor marca até hoje numa pesquisa Datafolha e está empatada com José Serra (PSDB). Ambos estão com 37%. O levantamento foi realizado ontem e anteontem com 2.660 entrevistas.

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Marina Silva (PV) aparece com 12%. Os que votam em branco, nulo ou em nenhum somam 5%. Indecisos são 9%. Na comparação com a última pesquisa Datafolha, realizada em 15 e 16 de abril, Dilma teve uma alta de sete pontos percentuais -de 30% para 37%. Já Serra caiu cinco pontos, saindo de 42% para os mesmos 37%.

Essa é a primeira vez que ambos aparecem empatados no Datafolha, que traz outros números positivos para a petista.

Corumbá IV na mira

A hidrelétrica, que foi inaugurada por Joaquim Roriz em 2006, é alvo de investigação do Tribunal de Contas do Distrito Federal. A CEB terá de explicar por que o custo da obra mais que dobrou sobre a previsão inicial

Ana Maria Campos
(texto publicado no Correio Braziliense)

Inaugurada com grande estardalhaço pouco antes da despedida de Joaquim Roriz de seu quarto mandato em 2006, a obra de Corumbá IV ainda provoca controvérsias. Em sessão na tarde de quinta-feira, o Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) decidiu pedir explicações à diretoria da Companhia Energética de Brasília (CEB), responsável pela decisão de construir o empreendimento na região do Entorno do Distrito Federal para geração de energia sem um detalhado estudo de impacto financeiro nas contas da empresa pública da capital do país. E mais: os conselheiros querem saber por que o custo original da obra, estimado em 1999, mais do que dobrou na sua inauguração sete anos depois.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Vitória da Diplomacia Brasileira

Obama teria dito em carta que apoia iniciativa de Lula para negociar com Irã

Diretório Nacional do PSB ratifica expulsão de Rogério Ulysses

(texto publicado no site do PSB Nacional)

O Diretório Nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB) manteve a decisão tomada pela Comissão Executiva Regional do PSB/DF que expulsou o deputado distrital Rogério Ulysses, em 22 de dezembro passado.

Com 55 votos a favor e apenas uma abstenção, foi aprovado nesta sexta-feira (21), em Brasília, o relatório do vice-presidente Nacional da legenda, Roberto Amaral, que ratificou a decisão anterior.

O parlamentar citado no inquérito que tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ), como beneficiário do esquema do mensalão do governo do Distrito Federal, apresentou sua defesa durante 20 minutos.

Gustavo Sousa Jr - Assessoria de Comunicação do PSB

Missa de Pentecostes pode virar palanque

Ano passado, padre Moacir Anastácio disse várias vezes aos fieis que era amigo de Gim Argello, além de ler uma carta da então ministra Dilma Rousseff

O Ministério Público e as demais autoridades interessadas em fiscalizar a campanha eleitoral fora de época têm que ficar alerta nas três missas que encerrarão a semana de Pentecostes, promovida pela Paróquia São Pedro, de Taguatinga-DF.

Realizadas no Parque Leão, que fica em Samambaia-DF, as missas acontecem nesta sexta-feira (21), no sábado (22) e no domingo (23). A organização espera a presença de um milhão de fieis por dia.

Ano passado, a fé tocou o coração de vários políticos e os levou para a celebração, dentre eles, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), sua filha, a governadora do Maranhão, Roseana Sarney (PMDB-MA), o senador Gim Argello (PTB-DF), o deputado federal Geraldo Magela (PT-DF) e os pré-candidatos ao governo do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC-DF) e Agnelo Queiroz (PT-DF).

O grande problema foi que o padre, amado e adorado pelos fieis, fez, involuntariamente ou não, campanha para alguns políticos. Há 11 anos a frente da celebração, o padre Moacir Anastácio, por várias vezes, disse que o senador Gim Argello era seu amigo. De acordo com o portal Transparência Brasil, o amigo do padre é citado no inquérito de número 2.724/2008, que está sob segredo de justiça e se refere à apropriação indébita, peculato, corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Ainda de acordo com o Transparência Brasil, o amigo do padre responde a mais dois processos. Um no Tribunal de Justiça do DF (Nº 2005.01.1.094961-2). O outro no Tribunal de contas do DF (Nº 1917/2003).

Além de revelar sua amizade com o senador, o padre ainda leu uma carta da então ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, que hoje é pré-candidata do PT à presidência da República. A carta não foi lida somente uma vez. Os ajudantes de palco, toda vez que tiveram oportunidade, leram a mensagem que informava o motivo da ausência de Dilma.

E não foi só isso (tudo). O padre, no encerramento de uma das celebrações, agradeceu a presença somente de alguns políticos, esquecendo de anunciar o nome de outros.

Presidente do TSE diz que lei só vale para nova condenação

Para Lewandowski, texto do Ficha Limpa não se refere a casos anteriores à promulgação

Pelo projeto aprovado na Câmara, estariam inelegíveis aqueles que já "tenham sido condenados"; no Senado, relator mudou tempo verbal

DA SUCURSAL DE BRASÍLIA
(texto publicado na Folha de S. Paulo)

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ricardo Lewandowski, afirmou ontem que, pelo texto do projeto Ficha Limpa, aprovado anteontem no Senado, os políticos só ficarão inelegíveis se forem condenados na Justiça depois da promulgação da lei.

"Se prevalecer a redação, a meu ver, sem conhecer o texto ainda, é só [para] aqueles que forem condenados depois da promulgação da lei. É a leitura que se faz, pelo menos, gramatical", disse Lewandowski.

PMDB indeciso sobre aliança

Peemedebistas batem o martelo somente no próximo mês a respeito de parceria com o PT, semelhante à que ocorreu no cenário nacional

Ana Maria Campos
(texto publicado no Correio Braziliense)

Durante meses, petistas jogaram duro antes de se declararem abertos à parceria com o PMDB nas próximas eleições. Depois do encontro regional do PT do último fim de semana que aprovou a repetição na capital do país do arco nacional de alianças(1) em torno da candidatura de Dilma Rousseff (PT) à Presidência, chegou a vez de os peemedebistas tratarem do assunto com cautela. Presidido no Distrito Federal pelo deputado Tadeu Filippelli, cotado para ser o vice do petista Agnelo Queiroz, o PMDB cogita outras opções e só vai tomar uma decisão sobre o assunto em junho. Um dos principais problemas é a pressão do Partido dos Trabalhadores para que os investigados na Operação Caixa de Pandora sejam escanteados e não participem da campanha.